Uninter – 1

Autoconhecimento é determinante para a sua qualidade de vida

Por Katia Nascimento

Assessoria de imprensa do evento

Foto: Divulgação

Vivo em uma busca constante de autoconhecimento e otimização dos meus resultados. Ser melhor a cada dia e impactar as vidas a minha volta é uma missão. A cada busco novos recursos, novas ferramentas, novas possibilidades e vou atrás de tudo que considero ser um novo recurso para mim e para vocês, visto que divido tudo o que aprendo com quem está ao meu lado.

No final da semana passada, eu fui a um congresso lindo que tratava de Ciência, Consciência e Espiritualidade e tudo o que acredito e propago por aí fez ainda mais sentido. Vários pesquisadores do Brasil e do Mundo palestraram brilhantemente em aulas espetaculares acendendo uma luz ainda mais forte na minha mente e coração, além de desconstruir várias verdades. Mas uma coisa eu posso garantir a vocês: A luz que procuramos está dentro de nós.

Luminarium_LogoVerticalCor

Muito me impactou a riqueza dos conteúdos e a seriedade em que os profissionais apresentaram cada conteúdo (toda base científica, mas entregando a aplicação prática) para que todos pudessem sair de lá já modificando suas atitudes e, consequentemente, suas vidas.

O Dr. José Genilson, Doutor em Medicina pela UERJ e professor de Medicina e Espiritualidade, da UFF, disse sobre a importância da transformação interior, explicou sobre o nosso sistema límbico, que a parte do nosso cérebro que cuida das emoções, e como lá se encontram os dispositivos de luta e fuga. Lembrando que a fuga pode nos lega a um estágio de vitimismo e depressão, e a luta nos traz a força interior que é o que precisamos para encararmos os desafios do dia a dia. De acordo com o Dr. Genilson, nos primórdios da nossa existência, tínhamos que nos proteger e fugir dos mamutes. Hoje, continuamos com nosso instinto de fuga ligado visto que o mamute do nosso tempo é o chefe tirano, a pobreza, e tudo que nos leva ao extremo do stress.

Outro ponto importante a observar são as pessoas que lidam com o público. Ultimamente, estas se queimam por completo, desencadeando a síndrome do fósforo queimado e precisam urgentemente buscar uma transformação interior afim de que esta explosão interna não se solidifique em uma doença.

Caso esta doença já esteja instalada, é importante observar:

O que esta doença quer dizer na minha vida?

Que mecanismos eu criei para que ela se instalasse?

O que eu preciso modificar?

Entretanto, não adianta inferir as respostas e não absorver o conhecimento. Por isso é tão importante desenvolver o autoconhecimento (colocar luz à nossa frente) e observar como agimos fisiologicamente com a fuga. E outro ponto importante é a importância de se fazer o bem. FAÇA O BEM!

É importante que sempre lembremos que somos todos um e que o mesmo Deus que habita em mim, habita em você. Percebe? Temos  laços que nos unem e nos empoderam. A pessoa é o principal instrumento da sua cura, mas é importante o movimento.

E assim, os conhecimentos foram se empilhando e transformando tudo em uma linda rede de mentes conectadas pelo coração. Foi lindo (A foto do início do artigo é o momento em que estávamos doando amor para o Planeta Terra).

Dr. Mário Borba, que é cardiologista e especialista em Saúde e Espiritualidade, completou que stress somado a raiva provoca infarto e que, se existe mais de 365 sentimentos catalogados, é importante encontrar outro que não seja a raiva para nos apegarmos. Precisamos aprender a perdoar. Não perdoar gera stress.

Observe que incrível:

A gratidão aumenta consideravelmente o otimismo. 

Então meus queridos, é urgente que paremos de nos preocupar com o que está fora e comecemos a nos preocupar com o que está acontecendo dentro. SE SEU PENSAMENTO FOSSE UM ALIMENTO, ELE TE NUTRIRIA OU TE MATARIA?

Assessoria de Imprensa

Fonte: Assessoria de Imprensa | Dr. José Genilson, Dr. Paulo César Fructuoso, Dr. Mario Borba e a mediadora Izabella Camargo.

Foi ressaltado a importância do olhar o paciente como um todo, mas mais uma vez foi falado sobre a autorresponsabilidade, a importância de se fazer o bem para que sua vida se encha de perdão e gratidão e nos benefícios da meditação para acalmar a mente e despertar o Deus que há em nós.

Durante todo o congresso foi reforçado os benefícios da meditação, da alimentação que nos desinflama, os exercícios físicos e o pensamento positivo perante a vida (o otimismo).  Fica evidente a cada dia que se a genética determina parte da nossa condição de saúde-doença (20%), a epigenética pode silenciar esta genética ruim (80%).

Então porque não ouvimos falar com mais frequência de tudo isso? 

Culturalmente estamos treinados a cuidar da doença e não a preveni-la. 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Foto: Divulgação

Outro ponto importante a se levar em consideração é a alimentação.

A médica Nina Sobral e a Nutricionista Fernanda Scheer explicaram a importância de uma comida de verdade. Nossa alimentação é muito cheia de industrializado, açúcar, glúten e isso tudo inflama o nosso corpo fazendo com que nos adoeçamos.

É importante observar que o corpo dá sinais. Começa por um processo chamado Excreção, depois a inflamação e se não nos cuidamos começam as fases de deposição, impregnação e fatalmente a degeneração. Mas observe: Tem que se desrespeitar muito para tudo dar errado e culminar na doença, explica a Dra Nina.

Meninas, o único hormônio que aumenta após os 40 anos é o cortisol sabiam? Mas o que foi desenvolvido pela natureza para nos apoiar na saúde, pode te adoecer. O stress é o sinal da falta de autoconhecimento e da desconexão com a sua essência. Sabe aquela pessoa que vai perdendo a coerência? Ela é círculo mas deseja entrar no quadrado a qualquer custo? Pois é, ela não se aterra. Não vive sendo de fato quem é e toda esta autocobrança a faz olhar para apenas o que falta, não parar e quando para, descansa com culpa.

Observe estas dicas:

  • Tenha amor próprio de pelo menos tomar muita água para liberar toxinas;
  • Tenha como meta, envelhecer com qualidade de vida;
  • Aprenda habilidades que te ajudarão a lidar consigo mesmo;
  • Tenha consciência que o autoconhecimento é doloroso;
  • Quando a gente se respeita a autocura é desencadeada;
  • Tenha conexão com a comida;
  • Aprenda comer comida de verdade;
  • Trabalhe o autojulgamento, o autocontrole e o autoperdão.

Passamos a vida procurando culpados pelo fracasso que nós mesmos causamos na nossa saúde e responsabilizamos o outro por nossa cura. O que foi falado o tempo todo, POR TODOS, tem a ver com ser autorresponsável, mas só se consegue atingir este grau de responsabilidade, quando você verdadeiramente se prioriza, escolhe de fato SE AMAR. 


FOTO_Jornal

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *