Ana Alarcon – Topo

Todos somos inteligentes se vencermos bloqueios

Por Leandro Cunha

Imagem: Pixabay

Imagem: Pixabay

Quando se diz que se usa pouco de nossas reservas cerebrais há um tanto de verdade nisso. Algumas pessoas dizem que usamos apenas dez por cento de nossa inteligência. Outros, até chegam a quatro por cento.

Não importa a percentagem. O fato é que realmente nosso cérebro tem muito mais capacidade além do que
usamos e neste artigo veremos o que acontece.

Sem dúvida, o uso da inteligência racional com a lógica aristotélica proporcionou as condições para grandes avanços na ciência. Tudo indica que ela surgiu para suprir necessidades da inteligência do sistema límbico, inconsciente, que tem enorme relevância na autopreservação e preservação da espécie, mas ela também pode
representar uma limitação para a inteligência presa que está aos grilhões da lógica racional.

A evolução obedece à necessidade. A inteligência é a resposta do ser às suas necessidades e na evolução os seres são formados para atender as suas necessidades a fim de sobrevierem e preservar a espécie.

O maior bloqueio da inteligência se dá quando damos ênfase à inteligência racional e desprezamos a inteligência do sistema límbico que equivale à inteligência do inconsciente.

Ninguém nasce com a inteligência racional, que é aprendida, mas nasce com a inteligência do Sistema de Autopreservação e Preservação da Espécie (SAPE) que é natural para conduzir o crescimento e a reprodução com vistas à preservação da espécie.

Esta inteligência foi que criou a inteligência racional e a evolução do cérebro que gerou o neocórtex. Ou seja, nova camada, nova cortiça, que torna possível as funções cognitivas e a lógica racional, formal, aristotélica.

Foi esta lógica que Aristóteles desenvolveu e ficou tão famoso através dos séculos a ponto de se repetir até hoje a expressão em latim como se fosse de um semideus megister dixit, o mestre falou como se a última palavra.

Quando propagaram que usamos apenas dez por cento de nossas reservas cerebrais miraram no que viram e acertaram no que não viram, pois realmente temos muito de nosso potencial de inteligência ( PI) bloqueado pela lógica racional que estabelece limites para o pensamento, para a percepção. Precisamos então nos voltarmos também para a lógica que não está limitada, por exemplo, pelo silogismo cujo paradigma é “todo homem é mortal;
Sócrates é homem; logo, Sócrates é mortal”.

Além de tudo, se a premissa menor (Sócrates é homem) está contida na premissa maior (todo homem é mortal), pois Sócrates é homem e muita gente brinca que o que matou Sócrates não foi a cicuta, veneno que foi obrigado a tomar acusado de corromper a juventude, e sim o silogismo.

Romper os limites da lógica é ampliar a percepção, o que muitos já perseguiram com drogas artificiais como Aldois Huxley e Steve lógico Jobs, como exemplos, sem sucesso.

Esta inteligência lógico-formal não é a natural, nos dada pela natureza. É criação do homem num longo processo de invenção oletiva como a linguagem verbalizada o é, e esta é uma das razões pela qual precisamos nos moderar no uso que se faz dela desdenhando outros recursos valiosos para o progresso da humanidade.

Ao contrário, ele põe em risco a própria humanidade levando-nos ao impasse lógico.

O mundo está impregnado de lógica formal, de raciocínio lógico, o que nos levou ao impasse lógico de construir bombas tão poderosas que nem podem se destruídas sem colocar em risco a vida em nosso planeta e mede-se o grau de desenvolvimento de um país pelo poder de suas bombas.

Quer dizer, o país mais desenvolvido é o que tem as bombas mais destruidoras e não o que tem a ciência mais avançada em benefício da humanidade.

Lembremos que a inteligência racional é quase que única em difusão e é a que supostamente é medida por testes de QI, quociente de inteligência (idade mental dividida pela idade biológica) confundido com coeficiente de inteligência por muita gente.

Quando uma pessoa aconselha “consulte seu coração” ou “ ouça o que diz o seu coração”, ela está dizendo algo muito importante pois tudo indica que antes de o sistema límbico perceber é o coração que lhe manda mensagens, tudo na velocidade do inconsciente que á avaliado em 10 elevado a sexagésima potência por segundo.

Coração e cérebro funcionam em íntima parceria.

Mas, o que fazer. Sem desprezar a inteligência baseada na lógica aristotélica, nos voltarmos também para a lógica do sistema límbico cujas estruturas anatômicas ficam no chamado segundo cérebro logo acima do tronco cerebral, a parte de medula espinhal que adentra a caixa craniana .

Relembramos que, de acordo com o Dr.Paul MacLean como resultado da evolução ficamos com três cérebros superpostos, o primeiro cérebro, o do réptil, pois a vida teria começado na água.

O segundo cérebro, o do sistema límbico, justamente se localiza no limbo (orla, beira) do tronco cerebral. E o terceiro cérebro, o mais novo na evolução, por isso chamado de neocórtex, o córtex (camada, cortiça) novo.

O neocórtex, com sua estrutural neural torna possível as funções cognitivas ou intelectuais basicamente como cognição, memória, produção de pensamento e avaliação e a lógica racional .

Mas precisamos também e muito da lógica do segundo cérebro, o límbico ou do inconsciente ou pré-consciente que torna possível a intuição (do latim intueri, de in, “dentro” e tueri . “ver”, o insight (dein, “dentro” e sight, “vista”, “visõ”), o pressentimento, do latim prae, “antes” e sentire, “sentir”, premonição, do latim prae, “antes” e monere, “avisar”,  remonição, do latim , prae, “antes” e monere (Pronuncia-se monére, “avisar”).

Não só estas funções mas todas as outras da mente inconsciente. Dissemos assim porque é a linguagem freudiana usual, mas não há nada mais consciente que o inconsciente pois ali encontramos a memória da espécie, a grande inteligência pois tem todas as possibilidades assemelhando-se ao que se diz do coração que se deve guardar acima de tudo pois dali procedem todos os caminhos da vida.

Chegamos ao ponto central deste artigo: precisamos promover a inteligência do sistema límbico, a inteligência do inconsciente no mesmo nível de importância que se dá a inteligência do consciente,do intelecto que tem todas as funções chamadas de extra-sensoriais.

O ser humano sente-se vaidoso por ser o animal racional e isso porque normalmente não é apresentado à inteligência do inconsciente, a do sistema límbico, que é capaz de proezas extraordinárias.

Muita gente faz esforço para ampliar a percepção por muitos meios, a começar pelo uso de certas drogas artificiais quando pode usar suas drogas naturais, conforme já demonstramos no livro “Autoestimulação da Inteligência”, por meio da inteligência límbica, seguindo a linha já traçada pela natureza com recursos que fizeram chegar até ela.

Há caminhos para se chegar à inteligência do inconsciente que pode nos guiar sem que saibamos. Um deles é pela Inteligência Emocional.

Biografia - Lendro Cunha

 

Leandro Cunha – Escritor
Head Trainer, Treinador em Inteligência Emocional e
Comportamental, Master Coach, Master Practitioner em PNL e
Advanced em Hipnose Clássica, Terapeuta, Mesmeriana e
Erickssoniana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *