Conquista Editora – Topo

Cesgranrio premia o melhor da dança

Por MF Press Global

Foto: José Renato Antunes

Foto: José Renato Antunes

A primeira edição do Prêmio Cesgranrio de Dança aconteceu no dia 21 de maio no Teatro Cesgranrio. Ana Botafogo, madrinha do prêmio, foi a apresentadora da noite. A cerimônia iniciou com a apresentação do balé Fauno. Em seguida, Ana apresentou o troféu que seria entregue aos vendedores da noite. O troféu leva o nome de Mercedes Batista, a primeira bailarina negra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Das categorias previstas para esse ano, uma foi cancelada. Como não houve indicados para Intervenções em Espaços Urbanos, a Fundação Cesgranrio decidiu premiar dois vencedores na Categoria Especial.

O professor e pesquisador Paulo Melgaço anunciou os vendedores de Melhor Coreografia e Melhor Categoria Especial. O coreógrafo Alex Neoral venceu a categoria Melhor Coreografia, pelo trabalho em “Still Reich / Keto”. Na Categoria Especial, os vencedores foram Fabiano Carneiro, pela gestão artística do Teatro Cacilda Becker e o Coletivo Negraação, pelo trabalho de promoção das danças negras.

O coreógrafo Renato Vieira entregou o prêmio de Melhor bailarino para Tiago Oliveira (Fauno) e de Melhor Bailarina para Marina Salomon (Natsu). Carlinhos de Jesus entregou o Prêmio de Melhor Espetáculo para In(in)Terrupto, da Companhia Híbrida.

A homenageada da primeira edição do Prêmio Cesgranrio de Dança foi a ex-bailarina, coreógrafa e professora de balé Tatiana Leskova. Naturalizada brasileira, Tatiana Leskova mora no Brasil desde 1944. Ela fez parte do Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro nos anos 1950, e criou uma escola de dança responsável por formar diversos bailarinos profissionais. Tatiana dedicou a vida para a dança e, aos 96 anos, ainda está em atividade.

– Estou muito feliz em receber esta homenagem, da primeira edição deste prêmio. Desejo que os profissionais tenham uma vida plena na dança como eu tive. A minha vida é aqui no Rio, no Theatro Municipal. Eu amo aquele teatro. Ele é a minha vida. Muito obrigada, – finalizou Tatiana fazendo reverência de bailarina para Carlos Alberto Serpa, presidente da Fundação Cesgranrio.

Em seguida, Serpa agradeceu a Ana Botafogo pelo empenho no Prêmio Cesgranrio de Dança.

– Quem conhece a Ana sabe que ela é uma figura magnífica. E agora, como se faz no balé, agradecendo muito a colaboração que você deu como nunca para que este prêmio existisse, eu faço a você uma reverência.

– Eu que agradeço a você, Serpa, em nome da Dança, por lançar esse prêmio tão importante para a cultura, – disse Ana.

Durante a noite, intervenções artísticas de diferentes estilos de dança foram apresentadas com sapateado, duo de dança negra e dança urbana e trio de dança contemporânea com bailarinos e musicistas.

Os vencedores de 2018 foram escolhidos pelo júri formado por Adriana Pavlova, Marcelo Misailidis, Paula Mori, Caio Nunes e Rubens Barbot.

Produções de outras cidades poderão concorrer à segunda edição do Prêmio Cesgranrio de Dança, que acontecerá em 2020. Segundo Priscila Melo, coordenadora do prêmio, podem concorrer montagens inéditas de obras nacionais ou estrangeiras, originais ou não, de produtoras ou companhias de qualquer estado do Brasil. Independentemente de já estar em cartaz em outras cidades, tais montagens deverão ser apresentadas pela primeira vez na cidade do Rio de Janeiro durante a vigência do prêmio.

– Queremos incentivar as companhias a se apresentarem no Rio de Janeiro, mas é preciso que o espetáculo cumpra o mínimo de duas apresentações na cidade.

Informações e inscrições estão disponíveis no site http://cultural.cesgranrio.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *