Conquista Editora – Topo

Médicos e dentistas aderiram a moda dos jalecos

Por MF Press Global

Foto: MF Press Global

Foto: MF Press Global

A moda influencia todos os âmbitos da sociedade e não poderia ser diferente com o meio da saúde. Quando se pensa em um médico ou dentista, a imagem formada é o tradicional jaleco branco usado para atendimento. No entanto, muitos profissionais têm escolhido cores variadas, bordados, rendas e modelos diferenciados. Mas pode? Existe alguma restrição?
A dentista e empreendedora da moda Dra. Ana Paula Moro, da Dra. Chica, explica quais são as regras para os chamados jalecos na medicina e odontologia: “de acordo com o Conselho de Medicina e Odontologia, não existe uma norma sobre tecidos ou modelos que devem ser usados no atendimento clínico”.
A Dra. Ana Paula Moro aponta que a moda tem tido cada vez mais abertura, principalmente entre os dentistas: “noto que a área odontológica ainda é mais vaidosa e hoje diversos dentistas aderiram aos jalecos coloridos e com cortes diferenciados. Vejo médicos conceituados, com clínicas elegantes, sala de atendimento impecáveis mas os médicos com o jaleco tradicional, com corte reto e tecido ruim. Na minha visão não adianta nada usar uma roupa de grife por baixo para atender se o que aparece é o jaleco”.
Foto: MF Press Global

Foto: MF Press Global

A dentista aponta que, no entanto, existem sim algumas coisas que precisam ser observadas: “Tanto o Conselho como nós dentistas sabemos que alguns detalhes podem prejudicar o atendimento no consultório:
Renda vazada
Se a renda for forrada, não tem problema, pois a função do jaleco é proteger tanto o paciente   quanto o profissional e o vazado da renda não terá a devida proteção.
Trocar de jaleco ao longo do dia 
É importante trocar o jaleco, a depender do número de consultas. O ambiente de consultório é contaminado. O jaleco deve ser lavado separado das roupas, é preciso todo um cuidado.
Não usar o jaleco fora do ambiente de trabalho
Não é permitido usar o jaleco fora do seu ambiente de atendimento. Além de existir a lei 16491 que proíbe os profissionais da saúde de utilizar o paramento em ambientes externos, é importante relembrar como pode levar contaminação para a comunidade.
Foto: MF Press Global

Foto: MF Press Global

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *