FBIE – Topo

A importância da emotização

Por Leandro Cunha

Imagem: Reprodução/BLB Brasil

Imagem: Reprodução/BLB Brasil

Nesse artigo vou abordar uma palavra tema muito importante para o decorrer do processo de autoconhecimento, autorrespossabilidade e por final de resultado.

As emoções e sentimentos já explicamos em outros capítulos, que um acomete e está ligado intrinsecamente pelo outro.

E como falar sobre a Teoria das Emotizações? No campo científico existem diversas teorias muito famosas, como as de Sigmund Freud (1856-1939), a respeito da psicanálise, e as de Alber Einstein (1879-1955) sobre a relatividade, e várias outras.

Hoje com experiência e vivencia posso te dizer que a melhor teoria aprendi com o Professor Luiz Machado, um grande homem e professor que por mais de 40 décadas, criou o inicio da Inteligência Emocional, e a principal base da “Emotologia”.

A principal base da Emotologia, no que se refere a mudança de comportamento, de atitudes, de hábitos, de costumes, e no que toca a mobilização de potencialidades como elemento de autorrealização para se chegar ao objetivo. Emotização é a ação de se revestir, de ser ou ter, e também no tocante a terapia breve, de emoções fortes, quer em acontecimentos reais ou vividamente imaginados, que provocam registros moleculares mobilizando o sistema glandular endocrino, cuja aquelas glândulas que o compre lançam hormônios diretamente na corrente sanguínea, e por isso mesmo as lembranças ligadas a eles se tornam indeléveis e formam o histórico psíquico, conhecido como reprogramação emocional, no qual uso muito em toda a Metodologia Fênix.

Como seu viu a palavra “emotização” indica o ato ou a ação de “emotizar”, repita-se, que é revestir de fortes emoções, ou rememorar sensações de fortes emoções, tomada esta palavra em sua real significação de mobilizar energias para a ação, os acontecimentos, os pensamentos, as ações provocando uma mistura de sentimento, de satisfação, de entusiasmo criador (quando o entusiasmo é dirigido a ações construtivas) fervor, enlevo, deleite, arrebatamento e tudo que mobilize o sistema de autopreservação (SAPE), o qual identificamos com a interação das emoções, com destaque o sistema límbico, mais o sistema glandular endócrino, provocando reações psicossomáticas. As emotizações nos movem, nos impelem para as ações. Somente as informações que penetram no SAPE tem mais chance de mudar comportamento. Mudando-se as emotizações, mudamos nós mesmo.

Para chegarmos a um melhor entendimento sobre o que é SAPE . Um dos princípios da Teoria Geral do sistema é que o todo é maior que a soma das partes; por isso existe algo incorpóreo nos sistemas, assim como a alma, uma entidade gerada pelo conjunto em funcionamento. Eis ai o SAPE, em relação à interação do sistema límbico, aí incluído logicamente o hipotálamo, mais o sistema glandular, surgindo o sistema SAPE.

Sigmund Freud chegou perto desta teoria das emotizações, hoje tornada possível com os novos conhecimentos do cérebro, surgidos nas últimas décadas e inacessíveis em sua época, mas escreveu vários caminhos da mente, como transferência e resistência, e outras possibilidades do conjunto cérebro mente.

A Teoria das Emotizações é a primeira a apresentar explicações consistentes a respeito não só da formação da mente como também com realizar mudanças no histórico psíquico de modo a mobilizar potencialidades e mudar atitudes e comportamentos diante da vida.

Uma das principais potencialidades humanas, é a capacidades de vencer dificuldades, de superar suas lembranças indesejáveis resultantes de emotizações. Podendo usar essa potencialidade com a Lei da Emotização Dominante, da Emotologia, a qual diz; A ideia, a lembrança que se vincula a uma emetização mais forte sobrepuja uma emetização de intensidade menor”. Como o cérebro não distingue entre uma lembrança ligada a acontecimentos reais de outra intensamente imaginada, podemos superar as emotizações indesejáveis.

No mundo e universo das coisas e pessoas, os iguais se atraem, portanto criamos um quadro mental e o emetizamos, nós mobilizamos nosso SAPE, nosso sistema energético com as configurações do que queremos conseguir em termos de resultados. Deste modo, estamos dando existência em nossa

mente ao que queremos conseguir, sejam mudanças em nós mesmos, sejam coisas do mundo material e as leis da natureza, ou no mundo sensível aquilo que já existia energeticamente.

Ha momentos da existência do que queremos conseguir: 1) a criação do quadro mental emetizado, com maior envolvimento possível dos sentidos, com cheiros, toques, gostos, ruídos, visualizações; enfim, o que couber, 2) o surgimento e criação de um novo mundo, a transformação renascida de uma Emotização de suas próprias cinzas.

Venha sentir isso e muito mais no Missão Fênix, 06 de abril no espaço Ribalta – Rio de Janeiro – www.fbiefenix.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *