Emprego? E quando lhe pedem “Experiência”?

Por Altamir Lopes

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

“NÓS ESTAMOS CONTRATANDO SOMENTE PROFISSIONAIS COM EXPERIÊNCIA..”

Essa expressão causa calafrios nos novos entrantes do mercado de trabalho e causa desespero em quem enfrentou anos de cursos dos mais diversos níveis mas não tiveram – até então – a oportunidade de atuar efetivamente na área para a qual se formaram: “E como terei experiência se não me derem a oportunidade” – perguntam os jovens trabalhadores ingressantes…

Vamos abordar nesse artigo os métodos simples, mas não necessariamente gratuitos, para conseguir preencher aquela lacuna na descrição do seu curriculum vitae que mais lhe apavora: “Experiência”. Pronto para aprender a virar o jogo?

Em primeiro lugar, esqueça essa história que te contaram por aí nos corredores das faculdades e quando você estava na fila da padaria, onde disseram  que empresas contratam para dar “oportunidade” pra você ganhar experiência. Nada disso…

No máximo, as empresas estão muito interessadas na oportunidade que elas mesmas possuem de contratar alguém a custo baixo “sem experiência”, e que – especialmente – não possua “vícios de trabalho” e impliquem nos altos custos de um profissional especialista. Além disso, as corporações em geral gostam muito da oportunidade de poderem “moldar” aquele profissional novinho em folha de acordo com a cultura da organização.  (Nota: Não poucas empresas acreditam, que é mais fácil “moldar” um profissional sem experiência às suas regras do que fazer o mesmo com alguém que já carregue anos de mercado.  Nem sempre é assim. Mas esse é um assunto pra outro artigo).

Só depois de entender que o que você considera como “oportunidade” para si mesmo e sua carreira é diametralmente oposto ao que a empresa considera como “oportunidade” para ela e seus negócios, você conseguirá compreender com muito mais facilidade o que fazer para preencher adequadamente o campo da “Experiência” na sua apresentação. Vamos fazer um resuminho?
“Oportunidade” pra você: Alguém deixar você trabalhar em uma empresa, arcar com o tempo gasto pra treinar você, assumir os eventuais prejuízos por erros de iniciante, assumir encargos trabalhistas e ainda pagar um salário para você incrementar e melhorar o seu próprio currículo.

“Oportunidade” pra empresa: Contratar alguém que faça a diferença e custe menos do que o valor que se lhe pague, tangivelmente ou não –  Não importa se possui ou não um currículo de uma página ou 1K de dados pregressos sobre a carreira – e ponto final.

Muito bem, problema elucidado ( pelo menos em parte…) vamos a Quatro pequenas dicas PRÁTICAS  para VOCÊ resolver, ou pelo menos AMENIZAR, o problema de não ter NADA para escrever no campo do seu currículo que anda lhe dando depressão…

1 – Se estiver fazendo cursos de nível técnico ou superior, esteja disposto a atuar como estagiário: É uma das melhores portas de entrada para o mercado de trabalho. Mesmo que não-remunerado, o estágio lhe dará a oportunidade de instrumentalizar o que aprende nos cursos de uma forma efetiva. E isso vai pro currículo.

2 – Voluntaria-se em sua área para trabalhar em instituições filantrópicas: Não existe melhor maneira de aproveitar bem o tempo reservado ao seu lado profissional do que reservar tempo para doar um pouco do seu talento, o próprio tempo e esforço a quem mais precisa. E quando se está começando na área, ainda receberá a grata satisfação de fazer ativamente o bem ao outro. Um lembrete: Atividades voluntárias regulares devem ser devidamente registradas em contrato. O setor de RH da instituição orientará a respeito. E isso vai pro currículo.

3 – Preste serviços em sua área: Empreender pode ser uma excelente maneira de começar, dependendo da sua área de atuação. Órgãos e profissionais especializados poderão orientar sobre os devidos registros para atuação legalizada do seu ofício. Vai que você pega “gosto” pela arte de empreender…quem sabe nem pense em emprego depois…E se voltar pra caça ao emprego,  isso vai pro currículo.

4 – Atue em movimentos, congressos, eventos e oficinas de sua área: Não como ouvinte, mas como agente ativo. Ajude a organizar, operacionalizar, arrumar etc. Finalmente, tudo isso vai pro currículo.

Uma vez com história real pra contar, você poderá discorrer sobre os resultados que obteve com as ações acima citadas em seu currículo. Mostre, para o seu empregador que quem terá oportunidade é ELE: A Oportunidade de contratar um GRANDE PROFISSIONAL, que desde sempre, busca e alcança RESULTADOS.

E aí? O que acharam dessas dicas? Comente aqui mesmo em nossa página ou envie um e-mail para altamirlopes@folharj.com.br ! Será um prazer responder a sua pergunta! Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *