Conquista Editora – Topo

Motivação: Como encontrá-la

Por Altamir Lopes

Imagem: Pixabay

Imagem: Pixabay

Intrínseca ou Extrínseca. Representada por pirâmides ou tabelas. Estudada profundamente ou simplesmente sentida no íntimo. Criada como razão de existência em si mesma ou naturalmente ofertada a quem a possui. Do que estou falando? Da Motivação.

Por que algumas pessoas encontram num simples abrir dos olhos ao acordar de cada manhã os motivos suficientes para enfrentarem quaisquer desafios de cada dia enquanto outros fazem questão de ficarem velados mesmo ante a grandes oportunidades? Onde se pode encontrar – de verdade – a Motivação?

Assunto estudado há muito, muito tempo – mesmo durante o tempo em que o homo sapiens não tinha se apercebido disso – a capacidade ou a habilidade de se motivar a ação está diretamente ligado aos processos naturais, biológicos de cada ser vivo, seja este último racional ou não.  Todavia, o quanto dessa natureza instintiva contribui para que o nosso cérebro gere ações eletroquímicas suficientes para nos mover e realizarmos o que é necessário – ou o que é simplesmente desejado – depende, pelo o que já foi estudado e corroborado pelos cientistas ao longo dos séculos, de algo um “pouco” menos frugal do que simplesmente o instinto: O raciocínio humano.

Ter ou não a ciência, ou digamos, consciência, do nosso posicionamento na nossa própria vida e do posicionamento de nossos pares é uma escala de pensamento que pode afetar profundamente a nossa capacidade de automotivação, uma vez que passamos a fazer algo que nosso cérebro ordena de forma direta ou indireta: Criar o hábito de nos comparar com outros. Mesmo que isso pareça bom, a verdade é que pode ser péssimo.

“Será que uma pessoa que não encontra motivação consistente para dar o seu melhor para sua própria vida teria razão para dar o seu melhor num ambiente corporativo?”

Bem, há muitas formas de abordar caminhos como meios de melhorar sua capacidade de se automotivar – e de até ser fonte de motivação alheia – e encontrar o caminho para isso é tão importante que até mesmo as escrituras sagradas já proverbiavam: “A vontade de viver mantém a vida de um doente, mas, se ele desanima, não existe mais esperança.” ( Provérbios 18:14 ). Pois é – muitos tem até perdido a necessidade de autopreservação, de sobrevivência mesmo – em função da falta de motivação, o que às vezes leva a depressão. Agora, imagine: Será que uma pessoa que não encontra motivação consistente para dar o seu melhor para sua própria vida teria razão para dar o seu melhor num ambiente corporativo? Será que a técnica do “torrão de açúcar” é o suficiente para que os gestores consigam resultados verdadeiros nas suas corporações com pseudocolaboradores nessa situação?

Procurar profissionais de saúde mental – psicólogos ou psiquiatras – pode ser de real ajuda e apoio. Mas até mesmo encontrar motivação para buscar essa ajuda é, em si, um problema. Até para ler esse artigo, é necessário ter motivação.

O Coach e  especialista em inteligência emocional  Leonardo Steil  (www.leonardosteil.com.br) relata uma das melhores formas de atingir o âmago da motivação dos colaboradores num ambiente corporativo. Ele diz: “Encontrar o seu propósito inabalável, é o que faz você seguir em frente quando todos parariam. Temos 3 níveis de propósito inabaláveis, o primeiro tem que preencher o EU, mas acordar cedo e motivado para comprar algo, talvez só isso não faça seguir em frente, aí vem o segundo nível, preencher o NÓS, e quem é esse “nós”? Talvez seja um filho, a esposa ou sua mãe.Pensar nessa pessoa vai fazer você seguir em frente.E existe um terceiro nível o TODOS NÓS, ajudar a humanidade e nem ser reconhecido pela atitude.”

“…encontrar o seu propósito inabalável, é o que faz você seguir em frente quando todos parariam…”

O especialista ainda acrescenta: “Somando os três níveis, podemos imaginar que nossa vida é um carro, e os níveis são os combustíveis. Temos que mudar o que está dentro, para se motivar e seguir do lado de fora.Temos que ter empatia pelas pessoas ao nosso redor, se colocar no sapato da outra pessoa, entender o que ela está sentindo. Isso faz toda diferença em um ambiente de trabalho.”

De fato, as colocações acima trazem uma excelente forma de compreender a si mesmo, como forma de encontrar motivação – e de uma forma realmente sedimentada, especialmente num ambiente corporativo.

Imagem: Pixabay

Faça reflexões positivas. Aprenda e alimente sua mente com o que é realmente saudável.

É claro que ao produzir as linhas desse artigo não pretendo trazer soluções encapsuladas. Mas abrem a discussão sobre onde, como e por quê atingir a capacidade de adquirir – e manter – a motivação.

Um resultado legítimo em função da procura por real motivação pode ir além do que apenas criar ou descobrir algo ou um objetivo material, emocional ou social para melhorar o próprio ânimo. A motivação mais profunda está diretamente ligada a questão de se encontrar  OBJETIVO E RAZÃO de vida. Onde encontrar esse objetivo?

Se você quiser discutir exatamente sobre isso, fique à vontade para deixar o seu comentário aqui na nossa coluna ou escrever um email para altamirlopes@folharj.com.br

Grande abraço e até a próxima!

 

cardaltamirlopesalec

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *