Uninter – 1

Desapego é fator essencial para o desenvolvimento pessoal

Por Vera Barbosa

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Todos nós temos uma natureza particular, uma visão de mundo individual determinada por nossos modelos mentais. Agimos e pensamos de acordo com nossas crenças e valores e para cada um de nós, nossa maneira habitual de agir e pensar é o certo conforme a nossa visão de mundo. Mas em determinadas situações, nossos modelos mentais não são suficientes ou adequados para dar conta das respostas que precisamos dar as situações especificas da vida. Quando as pessoas se tornam rígidas ou se dizem insatisfeitas com a carreira, com a empresa, com relacionamentos afetivos, o que as impede de mudar? Talvez o medo, a esperança de que as coisas (ou as pessoas) possam melhorar; insegurança com relação às próprias competências, incertezas sobre o futuro ou comodismo.

Particularmente penso que, muitas vezes, essas justificativas estão relacionadas com algo ainda mais profundo e que raramente paramos para refletir. O quanto estamos apegados a padrões habituais de pensar e agir? O quanto estamos apegados a situações e pessoas, mesmo aquelas que nos geram desconforto e sofrimento? Sintetizando, medo da mudança, medo do novo, o chamado Apego.

É possível que a palavra desapego lhe cause uma sensação de frieza e egoísmo. Nada está mais longe da realidade. A palavra desapego, compreendida dentro do contexto do crescimento pessoal, é um valor interno precioso que todos nós devemos aprender a desenvolver.

Desapego significa saber amar, apreciar e se envolver nos relacionamentos com uma visão mais equilibrada e saudável, libertando-se dos excessos que o prendem”.

Vem a ser uma liberação emocional que é viver mais honestamente, de acordo com as suas necessidades. Crescer, progredir com conhecimento de causa, sem prejudicar ninguém e principalmente  não deixando ninguém o limitar.

Devemos avaliar  nossos comportamentos, atitudes, formas de pensar e formas de avaliar as situações que  beneficiam  seu  progresso pessoal, sem que  anule ou adote uma postura que afete negativamente a autoestima? Mudar o que tiver que mudar, com positividade, clareza e lucidez.

Atualizar-se como pessoa, desapegar-se do que não tem mais valor na vida e conquistar a liberdade pessoal. O segredo talvez esteja em prestar mais atenção em si mesmo.

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos, não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos que já se acabaram.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora.

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: Diga a sí mesmo que o que passou jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, nada é insubstituível, e um hábito não é uma necessidade.
Encerrando ciclos, não por causa do orgulho, por incapacidade ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais em sua vida.

Desapegar-se, é renovar votos de esperança de sí mesmo,é dar-se uma nova oportunidade de construir uma nova história  melhor.
Liberte-se de tudo aquilo que não tem te feito bem, daquilo que já não tem nenhum valor, e siga novos rumos, desvende novos mundos, pois  a vida não espera.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se, e lembre-se não responsabilize os outros pela sua felicidade, ela depende de você, somente de você. Tome as rédeas de sua vida.

O desapego é um  elemento necessário para construir novas identidades, é  um componente essencial para aceitar um mundo dinâmico.

Então, recomece, desapegue-se!

Ser livre, não tem preço!

 

VERA BARBOSA

Master Coach Executive Bussiness com Certificação Internacional- EUA; Colunista da Folha do Rio de Janeiro; Graduada em Administração – Processos Gerenciais; Formação em Programação Neurolingistica-PNL; Hipnóloga com Certificação pela University Humanistic of the Americas; Especialista em Saúde e Espiritualidade; Aconselhamento Motivacional e Desenvolvimento Pessoal; Formada em Shiatsu Emocional;  Escritora – Coautora do livro “A Arte da Superação”, Autora do livro “Permita-se”,  lançamento previsto para   maio/2018. Atua como Coach Sensorial aliado a seis terapias (Shiatsu Emocional, Reick, Reflexologia, Barra de Acess, Cromoterapia e Aromaterapia), Pioneira no Brasil no atendimento de Coach aliado as seis terapias;  Consultora, Palestrante e Trainer

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *