Uninter – 1

Pilates e incontinência urinária

Por Ana Gil

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

A Incontinência Urinária, diferente do que muitos imaginam, é definida pela International Continence Society (ICS) como “Queixa de qualquer perda involuntária de urina”. Ou seja, se você tossir, e com isso escapar umas gotinhas de urina, isso pode ser indício de incontinência urinária. Muitas pessoas a possuem e não sabem.

A Incontinência Urinária (IU) afeta a qualidade de vida, comprometendo o bem estar físico, emocional, psicológico, social e até mesmo sexual. E pode acarretar em perda da autoestima, constrangimento, isolamento social e até mesmo depressão.

A IU pode ocorrer em qualquer idade e ambos os sexos. Mas sua incidência é maior em mulheres (3x mais), principalmente na pós-menopausa. E um em cada três idosos desenvolvem a IU.

Ao menor sinal, o ideal é a pessoa procurar auxílio médico, para avaliação de qual tipo e em qual nível se encontra, e assim, a indicação ideal do tratamento para cada caso. Os tratamentos podem envolver medicamentos, fisioterapia uroginecológica, exercícios físicos e até cirurgia, dependendo da gravidade do caso. E diversos estudos científicos comprovam a eficácia do Método Pilates tanto na prevenção quanto no tratamento de incontinência urinária já instalada.

O Pilates é um método que trabalha o corpo de forma global, oferece diversos benefícios e proporciona o condicionamento físico de forma bem ampla. Dentre esses benefícios está o fortalecimento do Core, também chamado de Método Pilates de Powerhouse. O Core é definido pelo conjunto de músculos que envolvem a nossa lombar e pelve internamente, e possuem a função de estabilizar a região lombo-pélvica. O fortalecimento desses músculos é uma forte ferramenta tanto para a prevenção e tratamento de dores lombares, como também da IU, principalmente em mulheres, visto que os músculos do períneo ou assoalho pélvico fazem parte desse grupo muscular.

Há pouco tempo, uma aluna minha de 70 anos, relatou que após três meses de Pilates, ela já não precisava levantar 5 vezes para urinar e conseguia dormir praticamente a noite toda. Com o assoalho pélvico fortalecido é notório a melhora do quadro em poucos meses, reduzindo o volume de urina durante a noite, melhorando o controle miccional e até a qualidade sexual.

ANA GIL

ANA GIL

Ana Gil

  • Colunista no jornal Folha do Rio de Janeiro
  • Graduada em Fisioterapia (IBMR)
  • Pós-graduada em Anatomia Humana e Biomecânica (UCB)
  • Especialista em Reeducação Postural Global – RPG (Instituto Philipe Souchard)
  • Mestre em Educação Física (EEFD/UFRJ)
  • Autora do livro Core & Training: Pilates, Plataforma Vibratória e Treinamento Funcional (Editora Ícone)
  • Proprietária do Espaço Ana Gil: clínica de fisioterapia, estética e Pilates na Barra da Tijuca
  • Docente de cursos de pós-graduação Lato sensu da UFRJ, UCB, UCP, UNIRN
  • Professora de cursos de capacitação e palestras de grandes eventos e instituições em todo o Brasil.
  • Site: espacoanagil.com.br
  • E-mail: ana@espacoanagil.com.br
  • Fanpage e Instagran: /espacoanagil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *