Cinemark – 2

“Fechar Ciclos” a Chave para o Desenvolvimento Pessoal

Por Vera Barbosa

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Muitas vezes não se entende porque a vida anda em círculos e não avançamos em certas áreas de nossa vida em direção aos objetivos desejados. Não nos damos conta da auto sabotagem que estamos fazendo conosco, deixando de viver a real essência da vida.

A chave destas respostas estão em fechar ciclos, mudar algumas atitudes e entender que a mudanças real deve ocorrer de dentro para fora, o mundo interno cria o nosso mundo externo.

Estamos chegando no início de mais um ano, temos que ter em mente que não adianta mudar o calendário e continuar esperando e gastando energia com situações que não lhe trazem felicidade, ou pessoas que não te valorizam, continuará repetindo os erros ano após ano.

Mas também não adianta investigar o que há dentro de você apenas com “olhos de mel”, enxergando tudo o que há de bom e bonito, como que mascarando e evitando suas sombras. Da mesma maneira, também não é recomendado olhar-se apenas “com olhos de fel”, a mergulhar intimamente apenas em sua escuridão e no lado negro da força. Temos que reconhecer e dimensionar, o mais fielmente possível, ambos lados, sabendo que não existe uma divisão, não estamos cindidos, tudo está sempre junto e misturado: luz e sombra, virtudes e fraquezas.

Quando a mente consciente e mesmo a inconsciente estão voltadas para sentimentos negativos como a tristeza, insegurança e insatisfação a pessoa passa a atrair situações indesejadas. A partir do momento que existe o perdão, o foco da vida muda e tudo é melhor direcionado.

Devemos entender que demos eliminar todo lixo toxico que existe em seu interior, isso é que vai determinar, reger a sua vida, e qual será o seu novo padrão.

Lembre-se de que a Lei da Atração mostra como somos responsáveis por tudo o que acontece à nossa volta. Ainda que você não deseje conscientemente algo que está acontecendo na sua vida, saiba que o seu inconsciente está atraindo essa situação, devidos as suas as crenças limitantes, que devem ser trabalhadas, para serem resinificadas. Nossa vida é um reflexo do que sentimos, da energia que emanamos às pessoas a nossa volta.”

Segundo especialistas, todos buscam a felicidade, mas para ter a felicidade é necessário primeiro encerrar ciclos. Para isso, aconselha-se deixar sentimentos negativos para trás, pensamentos que atrapalham nosso fortalecimento, emoções que nos seguram, medos, inseguranças e dúvidas. Agradecer é uma grande etapa para que tudo isso aconteça e perdoar complementa a ação.

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final…
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos.
Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu….
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.
Mas tal atitude será um desgaste imenso para você e para todos que o rodeiam, se fechar os ciclos  assim todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos não sofrerão ao ver que você está parado, especialmente você.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará, não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor a fazer é deixar que elas realmente possam ir embora…

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar coisas, enfim…

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração… e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.
Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituível, um hábito Não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Todas emoções negativas que carregamos são potenciais causadores de processos de auto sabotagem, nutrindo problemas que desencadeiam doenças emocionais, doenças físicas, doenças mentais.
Então feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Com certeza vai se sentir mais leve, terá mais claros seus objetivos, e será uma pessoa mais alegre, enfim mais feliz com mais energia para um novo ano, que pode ser bem mais promissor que os demais. Não perca tempo, tome posse de sua vida.

Você, somente Você é responsável pela sua felicidade.

Então a palavra-chave é Fechar Ciclos, tenha Coragem e Atitude …

Esqueça quem você era, e passe a ser quem você  É…

 

01

Vera Barbosa
Master Coach Executive Bussiness com Certificação Internacional- EUA; Colunista da Folha do Rio de Janeiro; Graduada em Administração – Processos Gerenciais; Formação em Programação Neurolingistica-PNL; Hipnóloga com Certificação pela University Humanistic of the Americas; Especialista em Saúde e Espiritualidade; Aconselhamento Motivacional e Desenvolvimento Pessoal; Formada em Shiatsu Emocional; Escritora – Coautora do livro “A Arte da Superação”, Autora do livro “Permita-se”, lançamento previsto para abril/2018. Atua como Coach Sensorial aliado a seis terapias (Shiatsu Emocional, Reick, Reflexologia, Barra de Acess, Cromoterapia e Aromaterapia), Pioneira no Brasil no atendimento de Coach aliado as seis terapias; Consultora, Palestrante e Trainer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *