Salto Fino 1

A medida certa da ousadia

Por Alex Ribeiro

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Qualquer erro cometido com ousadia é corrigido com mais ousadia?

Qual a sua opinião? Me arrisco a dizer que a frase acima é bem verdadeira. Basta lembrar de pessoas bem sucedidas que conhecemos durante a vida. Elas sempre se saem bem mesmo quando fazem bobagem! Muita gente se revolta com isso, mas, no geral, a ousadia é uma característica muito valorizada e isso faz sentido, já que a maior parte da população de ousada nada tem!

Mas vamos ao que interessa: o seu perfil de ousadia! E para falar sobre isso irei direto aos pontos críticos, com dicas de como reforçar esta característica em você.

O não você já tem! Que frase mais clichê essa, porém isso não altera o fato de que esta é uma das frases mais reais em nossas vidas! É preciso se motivar e, principalmente, se preparar para receber vários nãos por aí. Receber “NÃO” será sempre ruim, porém, se você se preparar para receber um não, o impacto dele na sua autoestima, no seu humor e performance será bem menor. E o principal, você não sairá tão traumatizado deste tipo de conversa.

As pessoas farejam a fraqueza! Então, ser um pouco ousado é o mínimo para não passar uma impressão de fraqueza. Parece bem cruel esta definição, e realmente é. Tenho a nítida impressão de que a nossa relevância na vida está diretamente ligada ao quanto as pessoas a nossa volta nos percebem como fortes ou fracos. Em poucas palavras, todos admiram o ousado, ninguém gosta do inseguro.

É difícil ser ousado toda hora, então, criar precedentes relevantes pode ser uma boa solução, assim você poderá sempre ser considerado ousado! E sim, casos de sucesso são obrigatórios! Mesmo que sejam poucos, estes casos em que você foi ousado e teve resultados positivos devem ser públicos, devem ser divulgados para que seu perfil fique em evidência de forma positiva e forte. Um ótimo caso de sucesso com ousadia vale por vários pequenos sucessos.

Por definição, todos somos um pouco tímidos, mas a timidez sempre será considerada uma defesa, e, em alguns casos até fraqueza. Por isto, se a timidez o incomoda, faça algo a respeito! Já a coragem é um ataque, demonstra força e uma autoconfiança que até contagia as pessoas. Mas poucos nascem ousados e é por isso que é tão importante praticar isso! Difícil, certamente, e por isso a recomendação é que a ousadia seja praticada frequentemente, começando pelas negociações pessoais. Bons exemplos de situações ideais para praticar a ousadia são os namoros, as negociações de descontos ao fazer compras, a negociação de prazos de entregas de trabalhos e projetos, e tudo mais neste sentido. Ou seja, situações de baixo risco para você!

Porém, aqui fica um aviso muito sério: inseguro quanto ao que fazer, não faça, não tente! Suas dúvidas e hesitações contaminarão os seus atos e a chance de sua ousadia se tornar um grande fiasco e vergonha é enorme. Por isso é importante praticar e ser ousado nas pequenas coisas: para adquirir esta autoconfiança e firmeza que permitirão a você, se necessário, corrigir um erro cometido com ousadia com ainda mais ousadia.

Encerrando o tema da ousadia vem à tona o cerne, a verdadeira razão pela qual somos ou não ousados: o nosso “Medo”. Quando falo em medo me refiro aos medos psicológicos, o medo da rejeição ou o medo do fracasso. Na maior parte das vezes a nossa decisão de ser ou não ser ousados passa por uma grande preocupação com a rejeição de nosso grupo social, ou pelo medo de fracassar e não saber lidar bem com isso. Em todo caso fica evidente que lidar melhor com a rejeição ou com o fracasso será o bom caminho para uma vida mais ousada e plena. Se esses medos te ameaçam, vale pensar em tratar isso de forma séria e profissional, seja através de um processo de coaching, quando o tema ainda não gera grandes prejuízos, ou através de um processo terapêutico. Isso quando o medo chega a atrapalhar todos os âmbitos de uma vida!

Resumindo, seja ousado, ou, pelo menos se esforce neste sentido!

Assim seguimos com os nossos temas estratégicos, com mais um ponto importante na composição de um perfil estratégico forte: a Ousadia! Em nosso próximo artigo vamos conversar sobre um tema ainda mais polêmico: O peso de nossa reputação!

Espero que você tenha gostado desse novo tema, e mais, que siga acompanhando esta série e aprimorando o seu perfil estratégico em 2017.

Alex Ribeiro

Businesscoach e Assessor estratégico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *