Cinemark – 2

Dicas para cuidar melhor das finanças pessoais

Por Robson Profeta

controle

E então, como andam suas dívidas e financiamentos? Algum empréstimo contraído? Se não possui endividamento, como andam seus investimentos? Colocando seus ovos de ouro em cestas diferentes? Como você controla seu caixa? Possui orçamentos de caixa para curto, médio e longo prazos?

Estas são algumas de muitas perguntas necessárias em um processo de orientação financeira e, acredite, existem várias outras não listadas aqui.

É muito comum encontrarmos pessoas que, mesmo controlando suas finanças pessoais, não sabem quais seus reais objetivos financeiros, e aquelas que dizem saber, mas que muitas das vezes, se perdem ao tentar explicar a verdadeira razão que decidiram por objetivo financeiro A ou B. Por exemplo, é muito simples falarmos que nosso objetivo financeiro é juntar um milhão de reais, mas, estranhamente, pessoas que conseguem juntar esta quantia começam a buscar cinco milhões de reais e assim sucessivamente. E junto aos novos objetivos financeiros, estas pessoas aumentam seus custos de vida e, claro, suas responsabilidades junto aos empregadores, familiares e por que não dizer, sociedade. Este processo, muitas vezes, culmina no famoso diagnóstico: o estresse.

Não é de se estranhar que pessoas “bem sucedidas” financeiramente levam a tira colo um custo de vida muito elevado, alto grau de estresse.

Será que bem sucedido é aquele que tem um excelente salário com um excelente posto na hierarquia social, ou aquele que traça exatamente o que quer e não se seduz por fatores que irão lhe tirar do seu caminho de sucesso?

De uma forma muito simples, se o seu objetivo é juntar um milhão de reais PORQUE sabe que conseguirá investir este montante com juros de 0,4% ao mês (já descontando a inflação). Sabendo que este valor aplicado lhe dará uma renda de quatro mil reais por mês, e que, este valor é suficiente para você viver, sem que precise trabalhar, por mais que resolva continuar trabalhando, pronto! Este é o seu PORQUE. A explicação de porque juntar um milhão de reais.

Agora se você ganha hoje os mesmos quatro mil reais e, quando for promovido, passar a receber cinco mil reais, cuidado para não aumentar seu custo de vida, senão um milhão de reais não será suficiente.

Planejamento financeiro não é apenas controlar nossas despesas, é também descobrirmos o quanto queremos, para quando queremos e porque queremos. Desta forma, os gastos se tornam direcionados e não sabotam nosso plano financeiro principal.

Um bom exemplo é quando compramos uma casa maior. Se não for para alugar, esta casa vai aumentar suas despesas com IPTU maior, condomínio mais caro, etc, em outras palavras, ela ajuda a sabotar o plano da conquista de um milhão de reais. Agora se, ao invés de aumentar o tamanho da sua casa, resolver comprar uma outra casa e alugar, você vai inverter a roda, ou seja, chegará ao primeiro milhão mais rapidamente.

Isto não significa que não devemos gastar com uma casa maior e outros gastos que queremos ter, afinal, precisamos viver nossa vida sem nos sentirmos escravos do dinheiro, mas é importante sabermos que este aumento de custo de vida, prorroga a chegada de nossa meta financeira.

Quanto aos ganhos, procure fazer algo que tenha talento, melhore suas habilidades e respeite seus próprios valores, desta forma, além de gastar menos, ganhará mais e chegará em sua meta financeira bem antes do que imagina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *