Copemac-970×90

Consumo em excesso? Conheça a Oneomania

Por Robson Profeta

e-commerce-402822_1920

Não é surpresa para ninguém que um dos grandes vilões do sucesso financeiro é o perfil consumista. Conhece aquela pessoa que vai ao shopping comprar algo que realmente não precisa? Ou mesmo aquela que visita endereços de compra na internet e adquiri as mais diversas e desnecessárias bugigangas? Pois é, esta pessoa pode ser mais uma vítima da “Doença do Consumismo” ou Oneomania, termo conhecido por poucos.

Para falarmos desta doença, vamos primeiramente analisar o ambiente ao qual estamos inseridos.

Nossa sociedade valoriza o “ter” em detrimento do “ser”. Esta afirmação não tem qualquer objetivo moralista ou filosófico, é uma constatação, um fato! Somos acostumados a avaliar (e sermos avaliados) pelas nossas roupas, nossas casas, carros, nossa hierarquia social, nossas patentes etc. Além disto, a maioria dos veículos de comunicação está vendendo tudo a todo instante. Temos o Big Data, ou seja, a inteligência das máquinas que analisa nosso padrão de consumo e dispara seus produtos na nossa direção. Se você, inocentemente, clica em um anúncio de sapato se prepare, pois, como em um passe de mágica (e acredite, não é mágica) a foto deste sapato aparecerá nas suas redes sociais, no seu correio eletrônico ou mesmo no seu celular. Basta um simples clique e pronto, o mais belo e imponente sapato é seu!

Além da constatação de sermos uma sociedade de consumo e, para complicar um pouco mais, existe em nosso cérebro, um neurotransmissor chamado dopamina, responsável pela sensação de prazer. Este neurotransmissor também é liberado quando vamos às compras. A dopamina funciona como uma droga, seu efeito causa prazer mas passa cada vez mais rápido e então precisamos de mais, então compramos mais. É como se estivéssemos aumentando a dose da droga, pois a mesma está perdendo seu efeito.

Vamos problematizar um pouco mais. Medo, ansiedade, depressão e angústia são alguns sentimentos comuns na sociedade atual. Estes sentimentos precisam ser combatidos para que nossa vida não fique “preta e branca”. Quando preenchemos nossa vida com amigos, esportes, encontros sociais, deixamo-la colorida. Bem ou mal, as compras também entram aqui para ajudar a colorir nossas vidas.

Agora pensemos: Se vivemos o consumismo; se a tecnologia nos ajuda a consumir mais e mais; se sentimentos ruins existem e precisamos espantá-los; se existe um neurotransmissor que gera prazer ao comprar, fica muito fácil entender porque consumimos.

Mas e quando consumimos em excesso e somos financeiramente descontrolados? O resultado é inevitável: aumento de dívidas com cartões de credito, conta corrente negativa, perda de bens e porque não dizer, lares destruídos. Pessoas endividadas muitas das vezes se isolam e, para amenizar suas dores e carências, fruto do próprio isolamento, recorrem a novas compras e então, inicia-se um círculo vicioso sem fim.

A primeira etapa para o tratamento da Oneomania é a tomada de consciência. É reconhecer a existência do problema e, claro, se não conseguir resolver, buscar ajuda profissional. Além de profissionais especializados que podem auxiliar no processo de cura, existem sites de apoio como, por exemplo, “devedores anônimos”, que prestam um excelente serviço à sociedade.

Compartilhe este texto, pois neste momento alguém pode estar prestes a sacar o cartão de crédito para fazer uma comprinha “desnecessária”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *