Cinemark – 2

A eterna busca

Por adrianagoes

trilhos coloridos

 

Acho que estou fadada a ser uma eterna insatisfeita. Sabendo deste fato, concluo que estar eternamente insatisfeita não me torna infeliz. Pelo contrário. É isso que me impulsiona, me move, me faz seguir em frente, mas que, às vezes, me frustra também. É verdade. Porque ser insatisfeito é exaustivo.

Fico achando que estou sempre à busca de algo que nunca encontrarei. Me pego pensando em quantas pessoas neste planeta são assim como eu. Com certeza, não sou a única a estar sempre querendo mudar, recomeçar. É a síndrome moderna do “reinvente-se”, que é uma ótima coisa a se fazer, com certeza! Mas qual seria o limite saudável de ser irrequieta, agitada, cheia de ideias e ideais? Seria melhor me conformar, dar graças a Deus por tudo que tenho e não criticar nada? Talvez, mas nunca saberei.

Sei que o melhor caminho é o equilíbrio. Mas, já que a minha vida é uma busca constante, só me resta atender ao chamado. O que me traz a certeza de que essa eterna busca pela razão de viver é o meu combustível na vida. Às vezes, penso que aquela expressão “macaco que pula de galho em galho” foi inspirada em mim. E olha que consegui ficar nove anos na mesma empresa. Em funções diferentes, é verdade. Mas é bastante tempo para alguém que se diz inconstante.

A verdade é que o mundo é muito interessante para ter um só hobby, para ler sobre só um assunto, para trabalhar sempre na mesma coisa, para fazer todo dia tudo igual. Não vou negar que, às vezes, penso no dia em que esse meu combustível irá acabar, para que eu resolva estacionar, montar minha redinha e ficar vendo o tempo passar, olhando para o horizonte, observando as nuvens. Mas, quando este dia chegar, acho que eu terei morrido ou perdido a razão de vez. Melhor continuar buscando. E vivendo.

 

4 thoughts on “A eterna busca

  1. Mariana Gois

    Prima Adriana, parabéns pelo texto! Ótimo ponto de vista sobre o que é a vida ! Muito bom!!!
    Um beijo, Mariana Gois. (MCZ)

    Reply
  2. Aline

    Acho que somos bem parecidasimples neste sentido. Você já fez o teste: que tipo de pessoa você é, lá no museu do amanhã? É bem interessante.

    Reply
  3. Graziela

    Adriana excelente texto.
    Você é fantástica, essa insatisfação paz parte da vida, concordo que é melhor continuar buscando e vivendo!
    Beijo grande e sucesso.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *