Uninter – 1

Atenção! Você ronca?

Por Bruno Chagas

sleep-apnea-01

 

Você perde a respiração durante o sono ou ronca? Cuidado!

Dormir bem é fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo. É durante o sono que os hormônios do crescimento e o da saciedade são liberados. O sono é responsável pelo descanso da mente, da musculatura, da respiração e do coração.

O ronco é um evento normal durante o sono a menos que seja alto ou perceptível por outras pessoas. Alguns portadores do ronco ou apneia do sono são alvo de piadas, mas de engraçado não tem nada. Pelo contrário, é um assunto que deve ser levado a sério.

O problema maior do ronco não é acordar as outras pessoas. É a possível interrupção na respiração que pode levar a consequências mais graves como a sonolência durante o dia, baixa no intelecto e no trabalho, cansaço e estresse, além de insuficiência cardiorrespiratória e irritabilidade.

Existem dois tipos de ronco: o normal e o patológico. Muitas pessoas roncam à noite, e o quadro é agravado quando a posição de barriga para cima é assumida, pois a língua se posiciona para trás e toca no palato (céu da boca) mole, onde há vibrações e ruídos e com isso, promove obstrução, fazendo com que a pessoa force mais para respirar. Nesta situação, os ruídos e vibrações se tornam mais intensos.

Sempre oriento que quando o ronco for muito alto, precisa ser investigado e tratado, afinal, poderá estar associado a outras doenças. A realização de exames como a polissonografia, tomografia, fibrolaringoscopia e o raio-x cefalométrico de perfil da face são exames extremamente importantes para o diagnóstico do ronco e da apneia obstrutiva do sono.

O ronco patológico é aquele que apresenta grandes vibrações e ruído intenso e não apenas pelo ressonar. Não só os adultos apresentam este problema. Crianças com amídalas grandes também são portadoras de ronco e apneia do sono e devem ser tratadas o quanto antes.

Muitos me perguntam o que é apneia.

A apneia é descrita como uma parada respiratória desencadeada pelo fechamento da faringe que ocorre normalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando.

 No adulto, classifica-se como apneia, uma parada respiratória superior a dez segundos. Como a criança tem uma reserva menor, às vezes, a apneia pode ocorrer depois de dois ou três segundos, uma vez que nesse tempo o sangue já se mostra empobrecido de oxigênio.

Durante a apneia, a pessoa para de roncar, pois ocorre o bloqueio da passagem do ar.

Vários fatores podem levar ao ronco e apneia obstrutiva do sono.

Posso citar as lesões tumorais na região das vias aéreas, cistos, amídalas e adenoides muito grandes,  desvio de septo, hipertrofia dos cornetos, pólipos nasais, obesidade, e não posso deixar de descrever sobre o  álcool e os medicamentos Benzodiazepínicos , pois estes têm a propriedade de relaxar o músculo da faringe. Já o tabaco causa irritação na faringe e provoca inchaço, consequentemente aumenta o ronco. As pessoas que têm hipoplasia(desenvolvimento defeituoso ou incompleto) de mandíbula e maxila, também podem desenvolver ronco e apneia obstrutiva do sono..

Os tratamentos para estes problemas são diversos e variam entre 19 tratamentos cirúrgicos e 13 não cirúrgicos.

Entre os não cirúrgicos, vale citar um simples aparelho oral que tem por objetivo estabilizar a mandíbula em posição protruída enquanto a pessoa dorme. Também existe o CPAP que entre os métodos não cirúrgicos é o que possui o maior índice de sucesso, mostrando ser efetivo na redução da apneia. Ele age expandindo pneumaticamente a via aérea faríngea através de uma máscara nasal que o paciente usa enquanto dorme.

Dentre os cirúrgicos, posso citar, com propriedade, a cirurgia de avanço e recuo maxilomandibular (cirurgia ortognática) que é realizada nos pacientes que apresentam retrusão de mandíbula ou maxila. Os pacientes com perfil de “passarinho” ou os que apresentam “queixo” muito para frente são candidatos a cirurgia ortognática,pois possuem as vias aéreas encurtadas.  Esta cirurgia é realizada por dentro da boca, portanto não deixa cicatrizes.

Curiosidade:

Você Sabia?

A apneia grave se não tratada mata em 10 anos. Apneicos têm dificuldades de perda de peso, disfunção sexual e risco de morte súbita.

Etimologia:   Apneia (a = prefixo de negação e pneia = respirar) > “sem respirar”

Quer saber mais sobre este assunto? Acesse www.cdfrio.com.br

FullSizeRender (4)

Bruno Chagas é Colunista do jornal Folha do Rio de Janeiro, especialista em cirurgia buco-maxilo-facial pelo Hospital Federal de Bonsucesso, felow em cirurgia videoassistida na Riga Stradins University, Letônia ,membro aspirante do Colégio Brasileiro de Cirurgia buco-maxilo-facial e membro do Centro de Deformidades da Face (cdf Rio)

Email: drbrunochagas@hotmail.com  / Facebook: facebook.com/brunochagas253

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *