Conquista Editora – Topo

Projeto social proporciona cidadania a 150 jovens em Niterói e São Gonçalo

Por Edir Lima

Foto: Jorge Fazolo

Foto: Jorge Fazolo

O projeto social do mecânico Leonardo da Silva Santos, de 38 anos, ajuda jovens, de 13 a 24 anos, a sonhar com uma chance no mundo do futebol. O trabalho é muito parecido com milhares de projetos ligados ao esporte espalhados pelo Brasil, mas tem um diferencial. A confiança e o carisma entre o mentor do projeto e seus alunos impressiona, além da metodologia das aulas, concentradas nos fundamentos do esporte.

“O objetivo é tirar o jovem da rua, do vício, proporcionando a prática no futebol. Alguns já estão encaminhados e tentam a sorte em clubes. Quero dar a eles a oportunidade que não tive de alguém para me ensinar a jogar melhor e encaminhar para um clube”, comenta o técnico Leonardo, que tentou a sorte em vários clubes.

“Era habilidoso, mas a concorrência era grande e não tinha ninguém para me apoiar”, lamentou o treinador.

As aulas são realizadas em dois locais – Concha Acústica de Niterói (terça e quinta-feira) e no campo do Serrano, no Salgueiro (quarta-feira), sempre de 15h às 18h. Tudo de graça para cerca de 150 jovens.

Nem o trabalho na manutenção de uma empresa de ônibus diminui a disposição de Leonardo em comandar o grupo no período da tarde. Quando chega no campo, o mecânico vive a satisfação de ajudar na formação dos jovens.

“Muitos chegam aqui falando palavrão, sem muita educação. Em poucos dias, vem a transformação. Ficam mais obedientes e passam a respeitar os pais em casa. O esporte ajuda a educar o cidadão. Os pais fazem questão de agradecer pela ajuda. Fico orgulhoso com isso”, ressalta, emocionado.

Apesar do 0800 do projeto “Sociedade Desportiva Juventude”, Leonardo chama a atenção para a necessidade de contar com parceiros. Ele lembra que investir no esporte gera incentivos fiscais para empresas, além de proporcionar qualidade de vida para os atletas.

“Se tivéssemos empresas colaborando com o projeto, poderíamos investir em uniformes, bolas, equipamentos para os treinos e, quem sabe, na contratação de outros profissionais para a preparação e treinamentos. Sem falar que a estrutura atrairia mais jovens para o sonho de um futuro melhor”, disse Leonardo.

O projeto também abriga jogadores inativos, que buscam novas oportunidades no esporte. Depois de uma temporada na Alemanha, Marlon encontrou a chance de um recomeço no Juventude.

“O clube incentiva os jovens e mantém em forma quem está inativo para quando a oportunidade surgir. Quando voltei da Alemanha, conheci o projeto e fiquei empolgado com a seriedade das pessoas envolvidas”, avalia Marlon.

Felipe Schuenck foi outro que brilhou fora do país. Depois de se destacar na Polônia, o jogador voltou em busca de novas oportunidades no futebol brasileiro. Confiante no potencial do atleta, Leonardo da Silva Santos abriu as portas do Juventude para Felipe, que elogia o trabalho social.

“É estimulante ver o brilho nos olhos desses jovens, sonhando com um lugar ao sol. O Léo fala muito com os atletas sobre a importância de aprender a conviver com o a falta de oportunidade. Isso é muito importante”, observa Felipe.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *