Copemac-970×90

Como lidar com “crises” observando as 5 forças de Porter

Por Altamir Lopes

business-618371_1280

Foto: pixabay

Objetivo e prático: Com base nos princípios das cinco forças de Porter, vamos pincelar o que pode ser feito para diminuir os efeitos das eventuais crises pelas quais sua empresa estiver passando. De uma forma resumida, direta e simples, veja o que você precisa fazer para reverter ou se precaver de situação de crise. Lembre-se, as medidas abaixo são atitudes simples e genéricas, mas um bom começo para começar a “aprumar” as coisas numa empresa com problemas. Vamos lá:
1º Força – Concorrência acirrada
O que fazer:
– Estudar o seu concorrente tanto quanto estuda sobre si mesmo;
– Não aceitar menos do que um atendimento impecável por parte de sua empresa aos seus clientes;
2ª Força – Poder de barganha de fornecedores
O que fazer:
– Buscar alternativas de fornecedores;
– Treinar e desenvolver um ombudsman do fornecedor;
3ª Força – Poder de negociação de clientes
O que fazer:
– Antecipe-se  a necessidade do cliente. Pesquise. Descubra. Sirva sem ser solicitado;
– Tenha um plano estratégico de preços, crédito e principalmente redução de custos;
4ª Força – Poder dos novos entrantes
O que fazer:
– Fidelize o seu cliente
– Mantenha seu produto/serviço o mais exclusivo possível
5ª Força – Ameaça de produtos substitutos
O que fazer:
– Mantenha-se atualizado às tendências do mercado consumidor. Antecipe-se.
– Tenha um esquema de reengenharia de produção pronta pra ser aplicada
É claro que essas medidas podem ajudar. Mas analisar pontualmente as necessidades da SUA  empresa certamente será de importância e relevância capitais para determinar as melhores ações. Cada empresa possui características peculiares, além da sua própria posição dentro do mercado. Naturalmente, as políticas governamentais também exercem fortíssima influência no desempenho das empresas e isso também precisa ser cuidadosamente considerado. Quer saber mais? envie um e-mail para altamirlopes@folharj.com.br e fale sobre sua empresa.
Um grande abraço!
Altamir Lopes

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *