IAPP – 1

Carta à mulher que um dia pretendo ser

Por Bruna Tschaffon

vintage-woman-1149235_960_720

Suponho que esteja lendo isso em dez anos, o que significa que estará a alguns meses de completar trinta e quatro primaveras. Não sei como será a sua vida então… Como toda garota que sonha com o seu futuro, tenho cá minhas expectativas. Contudo, a realidade já me ensinou que planos se assemelham mais a castelos na areia do que a fortalezas. Logo, posso apenas torcer para que você seja quem imagino que será. Espero não a sufocar com ânsias insuportáveis. Tentarei ser gentil com nós duas: é algo em que estou trabalhando, torço para que já tenha feito mais progressos nessa área.

Eu quero que você seja alegre. Confortável na própria pele. Que sorria bastante e para todos. A minha timidez atual pode fazer com que eu pareça fria, tomara que tenha aprendido a exteriorizar mais seus sentimentos e supere esse receio de se magoar. Sabe, às vezes eu ainda me preocupo demais com as coisas e me esqueço de ser grata. Isso faz com que eu me retraia e deixe de aproveitar a vida. Não quero que seja assim, por favor. Quero que dê gargalhadas aos quatro cantos sem medo de ser julgada e que curta bastante cada amanhecer que teve a oportunidade de desfrutar.

Também desejo que você seja confiante. Não exclusivamente com base nos seus próprios talentos e méritos: não queremos ser arrogantes e já/ainda somos perfeccionistas demais para deixarmos nossas limitações de lado. Mas confie no Cara lá de cima. Assim como Ele esteve comigo nos meus piores momentos e me carregou para a segurança, tenho certeza de que também estará com você e a auxiliará a superar cada obstáculo no caminho. Não se esqueça disso, principalmente nos dias complicados em que tudo der errado.

Espero que você tenha feito do mundo um lugar melhor. Lembra-se de quando éramos bem pequeninas e enchíamos a paciência de nossa mãe dizendo que iríamos mudar o mundo? Lembra-se de como foi horrível quando percebemos que o mundo nos mudou? Pois é. Talvez nós precisássemos passar por isso. Eu acabei de recuperar aquele idealismo de outrora, apesar das cicatrizes. Aquele brilho nos olhos, apesar das lágrimas. Quero que você tenha seguido adiante e sido gentil e amável e bondosa e caridosa com o próximo. Mudar o mundo começa com a nossa casa, com o nosso prédio, com o nosso quarteirão. Só as pessoas dispostas a acreditar nisso conseguem criar impacto.

Se possível, quero que você tenha sido paciente e cuidadosa com o seu coração. Eu já o protejo com o máximo de zelo, mas não quero que você o deixe fora de alcance, inacessível. Seja sábia. Espero que não haja aceito migalhas de afeto por medo de ficar sozinha. Não, de forma alguma! Tudo em moderação: não diminua o seu valor ou comprometa sua integridade em função de inseguranças. Não confunda amor com afeto passageiro, não abra mão de seus ideais. Acho que posso confiar em você quanto a isso.

Em geral, não tenho grandes pretensões. A verdade é que a quantidade de prêmios e troféus na sua estante não é o que importa. O essencial é que você seja uma mulher honesta, com seus olhos fixos no que lhe cabe observar. Quero que tenha cultivado suas amizades, seja uma profissional íntegra, visite sua família o máximo possível, tenha um tempinho para se divertir e que durma com a consciência tranquila ao deitar a cabeça no travesseiro. Seja responsável o suficiente para admitir os seus erros e com eles aprender, madura o bastante para não se cobrar perfeição. Seja forte e corajosa- sabe o porquê dessa citação, é a nossa predileta.

Sim, eu sei que espero muito de você. Agorinha mesmo estou me esforçando para chegar aonde já está. Quero olhar para frente e sentir orgulho de você e quero que olhe para trás e sinta orgulho de mim, numa reciprocidade linda e comovente. Neste momento, ainda somos diferentes e não há nada de errado nisso. Chama-se amadurecer e não há como pular essa etapa. Tampouco seria minha vontade. Gosto de comparar nossos reflexos com um sorriso esperançoso.

PS: Espero que tenha escrito mais livros. Nós sempre gostamos de nos perder no nosso mundo de papel e letrinhas.

Com amor,

B.

(Bruna Tschaffon é escritora da Coluna “Prosa pro Café” e seu primeiro romance, “Lítio”, será lançado pela Editora Giostri. Lançou o e-book de poesias “Meu coração é uma fábrica de arritmias sentimentais”, à venda na Amazon e na Livraria da Folha. Acompanhe seus escritos aqui na Folha RJ, no instagram @fazendoprosaepoesia e no facebook (www.facebook.com/brunatschaffonescritora).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *