Copemac-970×90

Sendo feliz mesmo na TPM

Por Gizele Toledo

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Como a moda agora é propor desafios, minhas amigas me desafiaram a escrever um artigo sobre como ser feliz mesmo durante a Tensão Pré-Menstrual – TPM. Desafio aceito! Nada mais coerente do que escrever sobre esse assunto em um dia daqueles!

Não sei se todos os seres humanos são assim, mas, as mulheres são movidas a hormônios. Isso eu posso dizer por experiência própria, além de contar com a colaboração de relatos desesperados das mulheres mais próximas.

Eis que, numa bela quinta-feira, faz sol lá fora, o céu está azul, você começa o dia como qualquer outro, já tem sua rotina, seus compromissos. Tudo igual. Mas, algo dentro de você a faz não reparar na manhã luminosa, na amiga que lhe sorri pelo corredor quando você chega ao trabalho, e muito menos no elogio recebido ao subir o elevador.

Você reclama de algumas bobagens que, num outro dia qualquer, talvez nem merecessem um minuto da sua atenção. Se vai a uma loja, acha a atendente despreparada. Se leva um esbarrão com uma bolsa, julga a pessoa como mal educada. Se ouve uma crítica, leva para o lado pessoal. Se está sozinha, o coração aperta pela solidão. Se está acompanhada, acha o parceiro especialmente irritante nesse dia.

Você, que esteve com sorriso no rosto nos outros 25 dias do mês, percebe que algo está estranho por aqui… E, então, você se dá conta de que a bendita já vem vindo… Você está na TPM! Quando nos damos conta da causa do nosso pico de mau humor, a irritação é até um pouco amenizada. Entender o que está acontecendo nos ajuda a não levar nada muito a sério. E a leveza, certamente, é um dos grandes trunfos do bom humor.

Como ser feliz na TPM? Esse é um período que, mais do que nunca, exige um esforço extra da nossa parte. Como eu já disse aqui na coluna, ser feliz dá trabalho. Requer uma postura pró-ativa.

Nos dias cinzentos em que muitas mulheres sofrem com TPM, um turbilhão hormonal tenta nos tirar o bom humor, mas nós podemos lutar contra ele e vencê-lo. Cada mulher que procura se livrar desse furacão, encontra a sua maneira.

Eu, pessoalmente, costumo correr na praia no começo do dia para já disparar em meu organismo substâncias relacionadas ao prazer, como endorfina e serotonina. Esse é o meu remedinho natural.  Atividade física funciona como uma pílula da felicidade, desde que criemos o hábito de praticá-la.

Em seguida, é interessante fazer as ações costumeiras de forma mais consciente: beber água de coco, degustando-a; tomar banho, reparando no frescor das gotas que escorrem; fazer uma meditação nem que seja por rápidos 15 minutos; escolher alimentos mais coloridos; atentar-se para a brisa tocando o rosto.  Ao observar esses detalhes, sorria. Ainda que você force um sorriso, o seu cérebro o interpreta bem e logo libera mais substâncias que melhoram o humor, ajudando-a a sentir melhor.

Importante também é caminhar com postura perfeitamente ereta, com o peito estufado.  Quanto mais você se curvar e dobrar os ombros para baixo, mais deprimida irá se sentir. Quando você abre o peitoral e levanta o queixo você traz para si mais positividade e imediatamente se sente um pouco melhor.  A correção da postura principia o caminhar das pessoas vitoriosas.

Há recursos simples como esses para encontrar a felicidade mesmo em meio a um turbilhão hormonal.  E vale a pena se esforçar um pouquinho, porque nós, mulheres, merecemos ser felizes todos os dias!

Se, mesmo com tudo isso, você não conseguir melhorar o astral, tudo bem… Vai passar… Simplesmente aceite os sentimentos e sensações, observe-os e repare que tudo é passageiro… Logo virá o sol de um novo dia, para o seu sorriso voltar a brilhar. Somos seres inconstantes em um planeta que também está em permanente mudança.

O problema não é ser infeliz algum dia, mas não reconhecer que a felicidade está dentro de você, quietinha, só esperando seu bom humor voltar para você reparar nela.

Até a próxima coluna! Nas quintas-feiras mais inspiradas do mês, a gente se encontra. No próximo artigo, você vai descobrir o que a cidade maravilhosa, a bicicleta, o turista e o carioca têm a ver com a felicidade. Pedale até aqui e confira!

 

Gizele ToledoGizele Toledo é jornalista formada pela PUC-Rio, especialista em Jornalismo Cultural, pela Uerj, e em Docência do Ensino Superior, pela Ucam.  Apaixonada pela vida, atualmente mergulha nas descobertas a respeito da felicidade, inspirando-se nos conhecimentos de escritores como Eckhart Tolle e Louise Hay. Gizele Toledo escreve contos, poesias, artigos e é autora do blog www.gizeletoledo.blogspot.com, intitulado Mania de Ser Feliz. Atuou como apresentadora de TV, repórter, produtora, roteirista, mestre de cerimônia, assessora de comunicação social. Em sua trajetória, frequentou escolas de jazz, ballet, sapateado, canto coral, teatro, redação, entrevista, interpretação para TV, modelo, manequim, empreendedorismo, inglês, francês, espanhol, alemão e Língua Brasileira de Sinais. Gizele Toledo é colunista da Folha do Rio de Janeiro, produzindo textos e vídeos que trabalham a autoestima, elevam o ânimo e motivam, com dicas para uma vida mais satisfatória e feliz. Acompanhe o trabalho da autora aqui e também no blog www.gizeletoledo.blogspot.com, no Instagram @gizeletoledo, no canal “Gizele Toledo” do YouTube e curta a página no Facebook www.facebook.com/gizeletoledo2.

 

 

One thought on “Sendo feliz mesmo na TPM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *