Uninter – 1

Unidos da Tijuca, Beija-Flor e Mocidade brilham no RJ

Por Edir Lima

Rio de Janeiro - Beija-Flor de Nilópolis, terceira escola do grupo especial do Carnaval do Rio (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Rio de Janeiro – Beija-Flor de Nilópolis, terceira escola do grupo especial do Carnaval do Rio (Tomaz Silva/Agência Brasil)

 

Unidos da Tijuca, Beija-Flor e Mocidade Independente de Padre Miguel foram os destaques neste domingo de desfiles de Grupo Especial do Rio. Grande Rio, Estácio de Sá e União da Ilha também desfilaram.

Entre os momentos marcantes deste primeiro dia, destaque para o galope de cavalo marionete gigante da Estácio, as coreografias de paratletas cadeirantes acrobatas da União da Ilha e os 40 anos de avenida de Neguinho da Beija-Flor.

Nesta segunda-feira (8), outras seis escolas completam os desfiles do Grupo Especial: Vila Isabel, Salgueiro, São Clemente, Portela, Imperatriz Leopoldinense e Mangueira.

A campeã será conhecida na quarta-feira (10), quando acontece a apuração dos votos.

ESTÁCIO DE SÁ

Após oito anos longe da elite, a Estácio de Sá abriu o carnaval falando de São Jorge. A comissão de frente tinha bonecos gigantes que deram vida a um cavalo marionete. Ele galopava e saudava o público, através de cordas puxadas pelos bailarinos. Fantasias com luzes LED chamaram a atenção e a rainha de bateria Luana Bandeira representou um dragão. Ela cuspiria fogo, mas não foi autorizada pelos bombeiros.

UNIÃO DA ILHA

A União da Ilha do Governador levou para a Sapucaí um enredo bem carioca. Com um sol de LED gigante e cadeirantes acrobatas na comissão de frente, a escola contou como o Rio conquistou os deuses do Olimpo que vieram conhecer a cidade das Olimpíadas 2016. Alas e alegorias divertidas e leves retrataram o bom humor carioca. A escola inovou ao trazer uma “superala” com 44 fantasias diferentes de personagens da cidade e ao colocar o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima cruzando correndo a Sapucaí antes do desfile. A bateria foi outro ponto alto com “paradões”.

BEIJA-FLOR

A escola apostou em alegorias imponentes e luxuosas e fantasias relativamente leves para o que tradicionalmente leva para a avenida. A campeã do último carnaval cantou neste ano a história do personagem que dá nome à passarela do samba: o Marquês de Sapucaí. O enredo não foi obstáculo para a escola de Nilópolis apresentar um desfile luxuoso, marcado pela opulência barroca e pelo abuso do dourado, além da tradicional força e empolgação da sua comunidade. A apresentação celebrou ainda os 40 anos do intérprete Neguinho da Beija-Flor e os 25 anos de carreira do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Claudinho e Selminha Sorriso.

GRANDE RIO

A Grande Rio fez homenagem à cidade de Santos. Neymar e Pelé foram convidados, mas não puderam ir. Faltaram ícones do Santos, mas sobraram celebridades. Susana Vieira, Thaila Ayala, Paloma Bernardi, Monique Alfradique, Ana Hickmann, Deborah Secco e Daniela Albuquerque passaram pela Sapucaí, entre outras famosas.

MOCIDADE

Penúltima escola a entrar na Sapucaí no primeiro dia de desfiles do carnaval do Rio, a Mocidade Independente de Padre Miguel resgatou os enredos politizados para tentar quebrar um jejum de 19 anos sem título. A cantora Anitta estreou como musa da escola, vestindo uma fantasia sobre a ditadura militar e à frente de um carro em forma de tanque. Claudia Leitte brilhou pelo segundo ano como rainha da bateria.

UNIDOS DA TIJUCA

Última escola a desfilar no 1º dia do Grupo Especial, a Tijuca fez uma homenagem à cidade de Sorriso, no Mato Grosso, conhecida como capital da soja. Ela abordou da criação do homem através do barro ao desenvolvimento da agricultura e vida no campo. O carro que chamou mais atenção foi um em forma de colheitadeira, com integrantes fantaseados de “supermilhos” no alto e que fazia a colheita de uma ala de milhos. O samba, de autoria de Dudu Nobre, embalou um ótimo desfile, que credencia a Tijuca para a disputa do campeonato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *