Copemac-970×90

Ameaça, oportunidade, desafio, derrota e vitória

Por Simone Rabello

Ameaça, oportunidade, desafio, derrota e vitória

Ameaça, oportunidade, desafio, derrota e vitória

Há muitos anos na faculdade, um professor apresentava abordagens sobre problemas em centros de informação e bibliotecas públicas e privadas. Ele demonstrava através dos casos dessas instituições, as ameaças e as oportunidades ao funcionamento do sistema e que ali havia. Ao término de sua apresentação, eu estava impaciente e o questionei: por qual razão o gestor do caso via alguns frequentadores de uma biblioteca, que eram alunos do curso de medicina, como uma ameaça ao sistema de uma biblioteca de um centro de informação de um plano de saúde? Ele me disse que assim o era porque o tal centro era voltado a médicos e não a estudantes, e eu o interpelei novamente perguntando se aquele cliente não pensava no futuro, se aquele centro de informação não pensava maior.

Então, ele ficou muitíssimo irritado comigo e começamos uma série de argumentações e contra argumentações, sem vencedores. Eu não conseguia ver estudantes em uma biblioteca como ameaça! Para mim, aquilo era uma oportunidade, um desafio, uma janela para a criação de um público que poderia vir a fomentar outro tipo de crescimento no sistema e agregar valor! Eu via os formadores de opinião de amanhã sendo servidos por um sistema de informação de uma empresa que se vende pela qualidade de seus profissionais. Eu via horizontes e meu professor via gastos! Eu via desafios e movimentação, ele via sobrecarga do sistema e prejuízo de uso para o público alvo! Eu via a otimização das relações entre centro de informação e alunos que cresceriam em suas carreiras, com o apoio de uma empresa da qual no futuro poderiam ser parceiros.

Enfim, éramos duas pessoas olhando o mesmo rio! Uma queria transpô-lo, a outra queria navegá-lo. Tínhamos pontos de vista muito diferentes. Foi ali também meu primeiro contato com uma sistematização de pensamento em que você pode enquadrar coisas, fatos e observações em categorias como ameaça e oportunidade e, a partir daí, chegar a conclusões e planejar, decidir e, enfim, administrar o que quer que te interesse. Foi também a partir dali que eu me inclinei severamente a transformar problemas em soluções! Pois há eventos e coisas que não podemos mudar sem uma alta dose de investimento e disposição! Viver num país cuja natureza recessiva das relações econômicas nos faz o tempo todo trabalhar com a ausência de recursos também influenciou, mas é claro que ser otimista por treinamento ou por natureza, ajuda, porque quando o pessimismo bate na porta: qualquer palácio se transforma numa quitinete com banheiro interditado!

Fato é que escolher como ver uma situação e apesar de tudo não se render, conduz você ao que muitos categorizam como vitória. E, mesmo diante da derrota, escolher o aprendizado como pagamento pelo desafio percorrido, uma solução que vai além do elenco de alternativas que você consegue enxergar naquele momento para o resultado de sucesso pretendido. Nessa abordagem, fundamental é o humor, ou melhor, o bom humor diante da única solução que não te agrada, sustenta ou traz para você aquilo que você tão fervorosamente desejou.

Dizem os sábios que a persistência, a perseverança e a preparação fazem com que o sucesso fique mais fácil. Mas o que fazer diante do acaso? Diante daquela terrível dor de barriga bem na hora daquela prova de concurso, para o qual você estudou durante dois anos? Ou daquele pneu furado no início da viagem de lua de mel que faz você perder o avião para Paris? Ou daquela cachoeira que surge bem no meio da sua sala num dia de chuva e que acaba com a sua comemoração com os amigos, deixando a todos com a inefável sensação de que você mora num barraco?

Dar-se por vencido nem sempre é abraçar a derrota, é simplesmente reconhecer-se diante de um objetivo que pode precisar de uma reformulação! E note bem que reformulação pressupõe alguma ação e não alguma inércia ou paralisia. A derrota assumida deve ser sempre o primeiro passo do seu próximo sucesso e as lições aprendidas o fruto de uma capacidade de observação e síntese que se desenvolve todos os dias com perseverança e a dedicação de quem quer se fazer melhor para si mesmo todos os dias. Quem aceita o desafio da vida, transforma ameaça em oportunidade e derrota em degrau para a vitória.

A todos aqueles que venceram o desafio de estarem de pé em 2015, meus parabéns, orgulhem-se de seus feitos, preparem-se para um novo ano e recebam 2016 com o amor que se recebe um filho! Cuidem dele com amor, carinho, e entusiasmo nos 365 dias em que ele ficará contigo. Façam de 2016 um sucesso, e de braços abertos recebam a felicidade do recomeço! A todos, luz e paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *