Cinemark – 2

Nova York: Como desfrutar da metrópole na crise

Por Carol Pires

Reprodução Internet

Reprodução Internet

Como todo mundo já sabe, o dólar está cada vez mais alto e não apresenta sinais de queda. Mas você, que está com viagem marcada para Nova York, não precisa entrar em pânico. Vem comigo que eu vou tentar lhe ajudar – ainda que, confesso, também eu esteja um pouquinho desesperada.

NYC é um dos lugares mais caros do mundo, mas também é onde se concentram alguns dos mais atrativos programas ao ar livre de que se tem notícia. Não importa a estação do ano, você poderá aproveitar, e muito, o ato de simplesmente andar e se perder por Manhattan (e pelo Brooklyn, por que não?!). Poucas das atrações imperdíveis na city são pagas, o que permite ao viajante a experiência de desfrutar sem gastar nada – salvo com acomodação e refeições, claro, já que a gente ainda não se alimenta de luz solar (droga!). Mas mesmo nos quesitos moradia e alimentação, você pode começar a se animar, pois Nova York conta com hospedagens e restaurantes que procuram satisfazer os mais diversos gostos e bolsos.

Então vamos lá! Primeiro, eu preciso dizer que NYC é o meu lugar favorito da face da terra. O motivo principal de tanto amor: essa cidade é pra todo mundo. Se você é do dia, se você é da noite, se você é da ostentação, se você é mais econômico, se você é preto, branco, índio, albino, do rock, do blues ou do rap… Amigo, em Nova York, estamos sempre em casa. Seja na Little Brazil ou em Chinatown, ali todo mundo encontra um lugar para chamar de seu.

A começar pelo Central Park, que é parada mais do que obrigatória, onde se pode caminhar, correr, deitar e rolar, tudo de graça. Da mesma forma, também não se gasta nada para atravessar a Ponte do Brooklyn, cartão postal da cidade, e, de quebra, você ainda pode dar um rolé naquele distrito, mais precisamente no DUMBO, lugar agradabilíssimo que apresenta uma vista linda de Manhattan.

Andar pela famosa 5a avenida, conhecer a Biblioteca Pública (te desafio a amar mais aquele local do que o meu querido amigo Gui), admirar por horas e horas, seja de dia, de noite ou de madrugada, a Times Square (te desafio a amar mais aquelas luzes do que eu!), curtir o ambiente do Rockefeller Center, conhecer a belíssima Catedral de St. Patrick… Tudo isso é 0800, é grátis. Nem um dolarzinho cretino será gasto para se deliciar com tais maravilhas.

Reprodução Internet

Reprodução Internet

“Ah, mas ir a NY e não conhecer a Estátua da Liberdade é a mesma coisa que ir a Roma e não ver o papa” – Por que tu estás se apressando? Quem disse que eu terminei? Claro que você vai ver a Estátua, vai falar que ela é pequena e se decepcionará, assim como todo mundo. Faz parte do pacote “explorando NYC”. A questão é que dá para ver a Estátua de pertinho sem gastar nada, é só pegar a balsa que vai para Staten Island e sai do Whitehall Terminal, localizado na 4 South Street. Eu falei que vocês devem ficar calmos, meu garoto e minha garota.

Também o memorial do 11/09 pode ser visitado gratuitamente. Às terças-feiras, das 17:00 às 20:00, a entrada é for free. A única coisa que você deve fazer é reservar o seu ingresso no site 911Memorial.org e pegar o ticket de entrada. Muito simples.

Acima de tudo, ande o quanto puder por Nova York. Como se anda pela cidade, e como isso é bom! Prepare os pés, coloque um sapato bem confortável e vá explorar o espaço público dessa metrópole maravilhosa! Ande pelo Soho, por Greenwich Village, pelo Chelsea, por Wall Street, pelo Harlem… Cada bairro evidencia peculiaridades próprias que valem ser descobertas e redescobertas e que irão render ótimas experiências, memórias e registros.

Já ia me esquecendo de sugerir a você que curta a High Line, o parque suspenso que, com suas artes e seus famosos grafites, virou tradição em Nova York. Tá por ali e quer ver o pôr do sol? Suba no rooftop Le Bain e tenha uma super vista do One World Trade Center e das belezas que o circundam (entrada de graça, claro, já que esse é o espírito desta matéria).

E quanto aos museus? Tcharããnnn, essa parte é boa demais! O Metropolitan Museum e o American Museum of Natural History têm o preço sugerido de US$20,00 e US$16,00, respectivamente, mas você pode pagar o quanto quiser. Pode não pagar nada, inclusive. Relaxa que ninguém vai te olhar com cara feia se você não tiver nem um cent sequer na carteira. O MOMA, por sua vez, não conta com essas regalias, mas é gratuito às sextas-feiras das 16:00 às 20:30.

Reprodução Internet

Reprodução Internet

Para finalizar, não poderia deixar de falar das peças da Broadway. Obviamente, elas não são de graça, mas trata-se de uma daquelas atrações que não se pode deixar passar. Nem que seja umazinha só, mas você tem que assistir! TEM TEM TEM! Para isso, basta ir no guichê da Tickets (na Times Square, embaixo da “escada”, sabe?). É mais do que possível conseguir bons ingressos por ótimos preços. Mas tem que ir no mesmíssimo dia da peça que se deseja assistir, só que mais cedo. No próximo post, falarei sobre as melhores peças em cartaz por lá!

 

Quer fotos e mais dicas desse lugar tão amado? É só acompanhar o meu Instagram @bycarolpires. Segue lá!

Acredite, NY é apaixonante, inclusive para os menores bolsos! <3

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *