Leandro Cunha – Topo

Gol da Alemanha?

Por Pedro Bedran

fotovascoseleçãoO que a goleada sofrida pelo Vasco e o momento do futebol brasileiro têm em comum.

Quem não se lembra do fatídico dia 8 de julho de 2014? Bom, apenas pela data, pode haver quem não se recorde. Mas e se falarmos: Brasil x Alemanha, Copa do Mundo, Estádio do Mineirão? Acho que agora todos se lembram. Essa foi a data do 7 a 1, algo que marcou toda uma geração, todos os amantes do futebol e mesmo aqueles que não gostam do esporte.

A Copa do Mundo de 2014 foi só a ponta do iceberg de algo que já vem se arrastando ao longo de décadas: corrupção, desvios, má administração e o desleixo, somados à falta de preparo de nossos dirigentes no futebol. Uma combinação perfeita para gerar esse resultado. Mas o que teria isso a ver com o momento do Vasco da Gama? Eu responderia: tudo!

Ontem, o Vasco sofreu uma terrível goleada para o Internacional, jogando no Beira-Rio, em Porto Alegre: 6 a 0. Quais seriam os motivos para o Gigante da Colina, que já obteve conquistas incríveis no futebol, estar agonizando dessa forma? Todos os já citados acima. Como um clube que busca se recuperar financeira e administrativamente elege novamente um dos maiores cânceres do futebol? Eurico Miranda fez e ainda faz muito mal ao futebol brasileiro. Uma pena que os sócios que o colocaram na frente do Vasco não enxerguem isso. Ou, pelo menos, fingem não enxergar.

Eu mesmo presenciei diversos torcedores vascaínos vibrando na final do Campeonato Carioca desse ano, quando Eurico apareceu no pódio, tomando a taça das mãos do presidente da FERJ e entregando a mesma para o capitão Guiñazú erguê-la. Volto até um pouco mais no tempo. Logo no início do ano, ao tomar posse novamente, Eurico afirmava categoricamente que o Vasco seria o campeão carioca. Assim foi, num torneio com diversas polêmicas.

Em seguida, veio a famosa frase: o respeito voltou! Isso é o que Eurico considera apenas pelo fato de vencer o Flamengo em alguns confrontos. E, infelizmente, é isso que Eurico incute na cabeça de seus jogadores e torcedores: melhor sermos rebaixados no Campeonato Brasileiro do que continuarmos perdendo para o Flamengo. E assim o barco vai navegando. Ou melhor, afundando.

Precisamos eliminar pessoas assim do nosso futebol. Temos que buscar inspiração na Europa, ou até mesmo nos Estados Unidos, que vêm fazendo de sua liga de futebol nacional a Major League Soccer, uma mina de dinheiro e exemplo de administração. Somente desta maneira não levaremos novamente um 7 a 1. E aí, sim, poderemos encher o peito para dizer: o respeito voltou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *