Salto Fino 1

Como estabelecer boas metas – 7 passos!

Por Márcio Silveira

Foto: Reprodução/Internet

Foto: Reprodução/Internet

Você teve uma boa ideia. Ou melhor, você teve uma grande ideia. Agora deseja torná-la real. Nesse mesmo tempo, você se apercebe que não alcançou outras metas anteriormente traçadas. O que deu errado? Porque falhamos ao tentar alcançar boas metas? Como estabelecer metas que realmente aconteçam?

Gosto de um método de 7 passos, que raramente falha. E se falhar, não terá de fato falhado se retirar dele um aprendizado e aplicar o método novamente. Sugiro que faça por escrito. Vamos lá?

As 5 primeiros passos estão relacionados à estrutura de uma boa meta. Uma boa meta precisa ser SMART: eSpecífica, Mensurável, Alcançável, Relevante e com boa noção de Tempo.

Específica: Suponha que seu desejo fosse comprar um carro. Provavelmente você imaginaria a marca, o estilo, a cor, o valor aproximado, etc. Faça o mesmo com a sua meta. Detalhe de maneira pormenorizada como será a sua meta quando alcançada. Você poderá imaginar um filme do dia em que você alcançá-la. O que você observa neste filme? O que está acontecendo? Preste atenção aos detalhes. Liste pelo menos cinco detalhes relevantes.

Mensurável: Imagine que esteja dirigindo rumo a São Paulo. Como verificaria a proximidade? É provável que prestasse atenção às placas, que indicariam a proximidade do destino. Devemos fazer o mesmo com as nossas metas. Quais são as evidências de que está quase chegando lá? O que precisa acontecer para que você diga a si mesmo: ‘Estou quase lá?’

Alcançável: Sua meta é algo possível? Nesse caso, quais os passos que precisa dar para alcançá-la? De que meios necessitará para o cumprimento da mesma? Conhece alguém que já fez algo parecido? Conseguirá fazer igual?

Relevante: Porque essa meta é importante para você? O que ela lhe trará de bom? Escolha algo que forneça a você sentimentos de realização. Vale lembrar que alcançar metas traçadas por terceiros dificilmente resultam em sucesso, a não ser que sejam relevantes para você também.

Tempo: Roma não foi construída em um só dia. Sua meta também não será. Mas planejar uma data para o alcance da mesma é importantíssimo, mesmo que esta data seja alterada posteriormente. Mas faça o seu melhor para cumpri-la dentro do prazo.

Até aqui já falamos sobre cinco passos. Faltam apenas dois!

Linha do tempo: Faça em uma folha uma linha e demarque-a com duas datas: A atual, no início da linha e a data do alcance de sua meta, na outra extremidade. À partir daí, estabeleça submetas em datas intermediárias com tarefas específicas. Esse passo é importantíssimo e requer constante atenção e replanejamento.

Congruência: Por sermos seres complexos, estabelecemos objetivos que às vezes não desejamos na totalidade de nosso ser. Isso acontece com bastante frequência. A psicologia aborda esta questão, intitulada como autossabotagem. Portanto, para se certificar de que sua meta seja congruente, pergunte-se: Se existisse uma vantagem em desistir, qual essa seria? Que vantagem eu teria de manter as coisas como estão? Após responder, pergunte-se: O que posso fazer para satisfazer essa questão sem desistir do meu objetivo? É provável que não pense em nada, a princípio. Mas sugiro que insista um pouco nessa questão, pois TODAS as pessoas se sabotam, em maior ou menor grau em diversos aspectos de sua vida.

A propósito: escrever suas metas aumenta, e em muito, a probabilidade de alcançá-la. Falo sobre isso em meu e-book, disponível para download gratuito nesta página. Aproveite e comente: Qual dica mais gostou?

Forte abraço e boas metas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *