Hinode – 1

Você quer trabalhar com coaching?

Por Camilly Gabry

Foto: Reprodução/Internet

Foto: Reprodução/Internet

Minhas duas formações em coaching tiveram o Master Coach Trainer internacional João Alexandre Borba como formador. João já formou mais de 60 turmas em diversos estados brasileiros e no Japão. Na minha visão, João é um ícone e peça fundamental para o desenvolvimento do coaching no Brasil e no mundo. Hoje, a entrevista foi com ele e foi baseada em sua experiência como formador de coaches além de uma análise geral de competências para os que pretendem entrar no mercado de coaching.

 

Porque você escolheu ser formador de coaches?

Porque o coaching causou uma transformação muito grande na minha vida. Eu consigo perceber o antes e o depois. Comecei a me tornar uma pessoa mais estruturada, mais organizada e a entender melhor minhas forças internas e as dos outros. Isso deu uma virada enorme na minha vida pois me enxerguei e alavanquei. Dessa forma, eu quis formar pessoas que pudessem realizar isso também.

 

Na sua visão, qual o trabalho de um coach?

O coach é o profissional que ajuda o indivíduo a avançar em sua vida rumos aos seus objetivos. Conforme a pessoa vai construindo suas metas, ela consegue escolher sair do lugar atual e avançar na direção de seu estado desejado.

 

O que é primordial que um coach tenha?

Respeito pelo seu cliente e pelo tempo de cada um. Um coach precisa aprender que o coachee (cliente de coaching) tem o tempo dele de alcançar o objetivo e não o tempo que o coach quer que isso aconteça. O que é fácil para uma pessoa pode ser complicado para outra.

Outra coisa que um coach precisa ficar atento é nas habilidades que o cliente possui, quanto mais ele se conectar as forças únicas do coachee, quanto mais ele souber utilizar essas forças, mais ele vai ajudar seu cliente a avançar e a superar possíveis obstáculos. Ele não irá se tornar uma pessoa que olha para os obstáculos e fica rodando em volta deles, isso só acontece quando há falta de contato com as forças que se tem, com os potenciais internos. Tudo isso é feito através dos exercícios e das superações que a pessoa alcança ao longo das sessões.

 

O que uma pessoa precisa fazer para ser coach?

É preciso ter capacidade de escuta. Ouvir todos ouvem, o coach precisa ter uma escuta atenta para o cliente traz como foco nas sessões. Ficar atendo ao que o cliente fala para transformar a fala dele em potencial de ação. Não é uma escuta que funciona em tom de desabafo mas sim de alavancagem. O coach auxilia na transformação de problemas em objetivos.

“Assim como nem todo mundo pode ser bombeiro, nem todo mundo pode ser coach”

Gostar de pessoas e respeitar o outro também é fundamental. No coaching o cliente avança muito mais quando o coach respeita e acredita nele, acreditar no outro faz toda a diferença. Nos treinamentos, eu digo: “se você não acredita no seu coachee, é melhor transferi-lo para outra pessoa” já que as chances do processo dar errado é muito grande.

 

O que mais marcou sua trajetória como coach?

Foi poder perceber o quanto de potencial adormecido existe nos indivíduos e o quanto ter um coach ajuda a despertar esse potencial. Ter uma parceria com alguém que acredita em você e está ali do seu lado é muito importante, empodera e gera resultado.

 

Como as pessoas que querem se tornar coaches podem te encontrar?

Através do site www.ijicoaching.com.br, lá tem um formulário em que a pessoa pode responder e perguntar sobre as datas e as localidades das formações.

Camilly Gabry

www.camillygabry.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *