Conquista Editora – Topo

O que você faz com seu tempo?

Por Alexsander Sena

Foto: reprodução internet

No artigo anterior propus aos amigos leitores que fizessem uma catarse através das perguntas que fiz, com o objetivo de “dar uma parada” e refletir sobre como anda a vida, de uma forma mais ampla. A busca pelo equilíbrio requer grande esforço da nossa parte, uma vez que exige de nós a disciplina de corrigir atitudes, pensamentos e sentimentos que nos fazem mal.

Muitos preferem fechar os olhos para os problemas ao invés de enfrentarem aquilo que lhes prejudica e, para completar, lembro que a vida passa rápido demais e não há margem para erros ou procrastinação. Tenho atendido executivos esgotados que têm vontade de “fugir”, como se isso resolvesse o problema deles. O mais curioso é todos reclamarem da falta de tempo.

O tempo é um paradigma, uma vez que é um patrimônio que todos têm igualmente. Não importa a que classe social façamos parte, se somos pobres ou ricos, se moramos na América, Europa, África ou Ásia, não importa a nossa raça, profissão ou escolha religiosa, pois todos nós amanhã ganharemos mais 24 horas para usarmos conforme julgarmos melhor. A diferença entre as pessoas bem sucedidas está em como cada uma administra seus dias.  Há milhares de estudos e teses sobre como podemos agir para que sejamos produtivos, mas a fim de evitar que o artigo de hoje fique muito extenso e chato, me comprometo em apresentar algumas técnicas mais a frente.

Hoje pretendo apenas convidar você a despertar sobre um assunto que é de suma importância nos dias de hoje.

Assim, convido você a fazer neste momento um breve exercício e avaliar, marcando com um X, os itens que tem acontecido em seu dia a dia:

 

(     ) Costumo passar a semana cansado

(  ) Sinto que diminuiu o tempo de convívio com meu companheiro ou companheira

(     ) Fico irritado(a) quando meu(s) filho(s) pedem ajuda no dever de casa

(     ) Deixei de fazer atividade física por falta de tempo

(     ) Deixei de ligar há mais de três meses para meus amigos verdadeiros

(     ) Não consigo mais ler livros como antes

(     ) Não tenho mais tempo para investir na minha família

(     ) Não tenho feito aquele hobby que tanto gostava por falta de tempo

(    ) Não tenho mais tempo para estudar, fazer cursos, pós-graduações ou algo que me desenvolva intelectualmente

(     ) Minha vida social está a beira de um colapso

(     ) Não tenho mais tempo para conversar com meus pais ou irmãos

(    ) Perdi a vontade de sair e só quero ficar em casa dormindo e vendo TV nos finais de semana

As perguntas acima não fazem parte de nenhum teste de Harvard, MIT (Massachusetts Institute of Technology), Stanford, Cambridge, Princeton ou Columbia para saber se você é o ás na administração do tempo! Apenas trouxe uma realidade comum de problemas que ocorrem com aqueles que não focam no bom uso dos seus dias.

Tenho visto ao longo desses anos profissionais reclamando que não têm mais vida, que não têm mais tempo para a parceira ou parceiro, que não acompanham o crescimento dos filhos, que a babá está sendo chamada de mãe, que a filha está namorando e nem sabiam disso, que o parceiro(a) está pedindo separação porque simplesmente não existe mais relacionamento!

Sempre que possível gosto de trazer dicas, sugestões e pensamentos (meus ou não) que ajudem as pessoas a serem mais felizes com suas vidas pessoais e profissionais, então hoje quero compartilhar uma fórmula, que não é mágica, que costumo usar com alguns dos meus clientes, coachees, e mentees que tem funcionado:

S = M + 2 (AT + D + F)

Legenda: S = sucesso / M = metas / 2 = dobro do esforço / AT = administração do tempo / D = disciplina / F = foco

Hoje quis apenas trazer algo que faça você pensar mais sobre como está o gerenciamento do seu tempo, afinal você é responsável por seu sucesso e felicidade! E só você pode mudar o estado que você se encontra.

Nos encontramos na próxima semana, e fica aqui meu compromisso de mais à frente trazer algumas dicas de gestão da qualidade do tempo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *