Copemac-970×90

A estreia de um veterano

Por André Scucato

Foto: Reprodução Internet

Foto: Reprodução Internet

Luiz Rosemberg Filho realiza com perfeição o casamento entre o Cinema e o Teatro. O Filme Dois Casamento$ pode ser visto no espaço Cândido Mendes, onde a peça de teatro permanece em cartaz até o dia 10 de setembro.

Desconhecido do grande público, Rosemberg é autor de vasta filmografia que supera cinquenta filmes entre curtas, médias e longa-metragens. A sua poesia se espalha na tela, assim como explode em suas colagens com toda a força da expressão que as artes plásticas possui, transborda em seus textos críticos sobre a arte e a cultura do pensamento humano. Com um fôlego jovial sua poética agora se casa com uma de suas grandes paixões, o palco. Espaço que sempre esteve presente e em constante diálogo com sua obra cinematográfica.

A peça narra a história de duas noivas, prestes a se casar. Apesar das personagens interpretadas com a força de Patrícia Niedermeier e a delicadeza de Anna Abbot, a discussão extrapola os sonhos, anseios, expectativas e desejos. A peça fala sobre a alma humana, os relacionamentos e a sociedade. O casamento entre política e poética, tão presente na obra de Rosemberg é a força motriz que move todos os outros elementos.

A iluminação de Vinicius Brum e Alessandro Boschini nos remete em alguns momentos aos efeitos próprios da linguagem cinematográfica. A taça de vinho iluminada por um delicado facho de luz coloca o objeto em primeiríssimo plano. Ou na sequência em que diversos refletores se iluminam e se apagam acompanhando o deslocamento frenético da atriz em cena, nada deixa a desejar as sequências de ação, comuns na tela de cinema. Não poderia ser diferente. Se na sua obra cinematográfica encontra-se evidente a presença da linguagem teatral, em sua estreia no teatro percebemos instantes em que a sétima arte se personifica.

No entanto há diversos casamentos nesta peça. Na direção musical de Rodrigo Marçal ora em ritmo com os gestos cênico, ora em sintonia com a emoção da cena. Das forças do teatro e do cinema sempre em movimento. Da luz e das sombras, em jogos dramáticos. Entre momentos de dança e de imobilidade das atrizes em cena. E principalmente o casamento entre os diálogos verborrágicos e a poética política de Luiz Rosemberg Filho.

A peça e o filme Dois Casamento$ contaram com a produção de um outro guerrilheiro do audiovisual, Cavi Borges. Nome que se destaca entre os produtores e distribuidores independentes do cinema brasileiro. Cavi produziu o filme Dois Casamento$ e, agora, produz também a peça de teatro. Que esta seja a primeira de muitas peças de Luiz Rosemberg nos palcos cariocas. O público ainda pode escolher entre o cinema e a peça ou assistir as duas obras. Uma oportunidade única de conhecer um pouco sobre o universo de um dos maiores artistas contemporâneos de nossa época.

André Scucato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *