Chelle Oliveira 1

O que você NÃO pode deixar de saber sobre um Arquiteto

Por Tamyres Ribeiro

Foto: Reprodução/Internet

Foto: Reprodução/Internet

O arquiteto é formado em Arquitetura e Urbanismo. Geralmente, as pessoas esquecem que todo arquiteto também é urbanista. Então além de projetar edificações (casas e prédios) e espaços internos (decoração), o arquiteto atua como urbanista fazendo o planejamento urbano e organizando o crescimento dos bairros e das cidades. Para todas essas projeções sempre é necessário que ele seja um grande observador e praticamente um psicólogo.

É preciso, então, estar atento a todos os detalhes, a todas as ações diárias do local e ao perfil de quem vive, convive ou vivencia o espaço. Nesta parte, o arquiteto precisa conversar diretamente com as pessoas, onde eu costumo dizer que ele se torna um ‘arquiteto-psicólogo’, pois ele necessita escutar e interpretar a fala de cada pessoa para poder analisar o sentimento dela, já que a Arquitetura e o Urbanismo não são feitos apenas de ideias mas também de vibrações. O desenvolvimento do projeto para o arquiteto é também a união dos estudos de insolação, ventilação, acústica, iluminação natural e artificial. Em meio a todo esse contexto o arquiteto ainda tem uma vertente historicista e paisagística.

Em toda a sua formação o estudo é ligado à linha do tempo, sendo que a Arquitetura ou o Urbanismo são identidades de gerações. É possível definir uma época pelo desenho de uma edificação ou pelo traçado de uma via. Todo arquiteto fica fascinado em ver uma edificação que já estudou e muitos deles escolhem ser restauradores, que seria uma forma de dar vida a uma Arquitetura ícone de uma época que no entanto está em ruinas.

Já a vertente paisagística está ligada ao bem estar. Não é novidade os benefícios que uma área verde traz para as pessoas. Assim, o arquiteto utiliza esta área para o sombreamento das edificações, para gerar melhor circulação do ar puro dentro da estrutura e ao redor dela e dar o prazer visual. O estudo paisagístico foi evoluindo não só por parte estética mais principalmente pelo reconhecimento da necessidade de massas verdes em meio a tanta poluição e construções desordenadas geradas pelo mundo, prejudicando a natureza e o ar puro.

O último ponto e talvez o mais importante sobre o arquiteto é que ele jamais aceitará ser confundido com um engenheiro.

Fique atento!

Tamyres Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *